terça-feira, 22 de abril de 2008

Extremos opostos

Um tenta de tudo para se esquivar do banho e toma banhos a fugir da água. A outra demora séculos com a água a correr e não há banho nenhum em que não tenha de ameaçar desligar a água quente.

domingo, 20 de abril de 2008

Primeira ida a um jogo de futebol profissional

Na quarta feira passada o Tomás foi com o pai até à capital para ver o jogo Sporting - Benfica. Eu estava bastante reticente quanto à ida a este jogo pois ouve-se falar tanto da confusão que há antes, durante e depois de encontros entre tamanhos rivais mas o Tomás estava tão contente com esta hipotese que decidi que não haveria problema. Não houve, felizmente, embora eu tenha passado o tempo todo com o coração nas mãos até à hora em que o pai me telefonou a dizer que já estavam na casa do amigo do pai onde iam passar a noite.
O Tomás adorou cada minuto daquele dia! Ia todo contente na viagem a dois, só ele e o pai, segundo o pai foram o caminho praticamente todo a conversar. Diz o pai que ao entrar no estádio estava literalmente de boca aberta tão maravilhado que estava com tudo. Durante o jogo também se portou muito bem, sempre muito atento ao que se passava em campo, embora estivesse um pouquinho triste por ver a sua equipa a perder mas tudo mudou e o Tomás vinha felicissimo com a quantidade de golos que foram marcados na segunda parte. Foi um dia tão cheio de emoções que demorou a adormecer, para grande azar do pai que estava super cansado e de manhã cedo tinha de conduzir de volta a casa.
Quando chegou a casa tive direito a um abraço enorme cheio de saudades e logo de seguida começou a contar-me tudo o que tinha visto e como se tinham passado as coisas.
Como me enche o coração ver os meus filhotes assim contentes!

segunda-feira, 7 de abril de 2008

1 mês, 1 semana e 6 dias de convivência a 8

Demorou mais do que estava a contar mas parece que finalmente conseguimos estabelecer uma rotina adaptada ao novo elemento e às necessidades dos restantes filhotes. Uma das alturas mais dificeis eram os finais de tarde, ter de conciliar os banhos, a ajuda nos deveres, o tempo para a brincadeira e mimos e os cuidados à Concha mas posso afirmar que, com mais trabalho e maior gestão do tempo, consegui vencer esta batalha. Embora nunca me tenha faltado ajuda (preciosa diga-se) sentia uma enorme necessidade de continuar a ser eu a dar conta do recado até para que os miudos não se ressentissem com a chegada da mana.
Felizmente continua tudo a correr bem. A Concha é uma bebé saudável e cheia de mimo que aprendeu que andar ao colo é uma maravilha e que resolveu que dormir não era para ela. Os manos continuam a ser carinhosos com a mana mais nova e bastante prestáveis. Os ciúmes apareceram cá por casa mas aos poucos estão a ir embora. Não foram ciúmes dirigidos nem ao pai nem a mim mas sim aos irmãos: o Eduardo com ciumes por causa da relação que o Gabriel estabeleceu com a Concha e o Tomás com ciumes por causa da atenção que as mais velhas dão à cachopa pequena.
No caso do Eduardo, ficava muito aborrecido quando o irmão em vez de brincar com ele preferia ficar com a irmã o que dava direito a um valente amuo e um acesso de mau feitio que numa ou noutra ocasião resultou numa pequena "agressão" à Concha. Agora começa a lidar melhor com a situação, juntando-se ao irmão quando ele prefere ficar perto da pequenina. O facto da bebé estar a perder o factor novidade também faz com que o Gabriel lhe comece a dar menos atenção e, consequentemente, passe a dar mais ao irmão.
O Tomás passou por uma fase de "elas (Camila e Beatriz) já não brincam comigo" e "elas não gostam de mim". Aqui, para além de me ter esforçado ainda mais por ter mais tempo para ele (assim como o pai) pedi a colaboração das irmãs para que brincassem mais vezes com ele. Elas foram impecáveis na divisão de atenção e parece que a insegurança dele passou.
Esta acalmia nos ciúmes e consequentes chamadas de atenção foi de grande ajuda para todos pois andamos mais calmos, mais animados e acabamos por ter mais tempo de qualidade para passarmos juntos uma vez que não temos de estar a acalmar birras ou a castigar alguém.
Tem sido uma gestão de tempo/esforço muito complicada mas sem dúvida de que vale a pena.
Está a faltar o relato da nossa aventura que eu já escrevi, à mão, e que falta ter tempo para passar para aqui. É o proximo item da lista mal tenha nova aberta de tempo assim como ir visitar os vossos cantinhos (aposto que há imensas novidades). À falta de tempo para vos visitar uma a uma... Um grande beijinho para todas vocês!

terça-feira, 1 de abril de 2008

Da Páscoa

Apesar de todo o trabalho que tive, valeu a pena porque foi um dia muito bem passado.
Este ano o coelhinho da Páscoa escondeu 6 ovos grandes e 90 ovinhos pequeninos. As crianças lá andaram todas entretidas a procurar os ovos por tudo o que era sitio e, acho que pela primeira vez, foram encontrados todos os ovos escondidos.
O almoço correu maravilhosamente bem e felizmente fez bom tempo, o que foi uma grande ajuda pois os miudos andaram entretidos a brincar lá fora enquanto os adultos metiam a conversa em dia.
Sem duvida alguma, a repetir para o ano.

Do dia do pai

O pai teve direito a um despertar muito especial: muitos beijinhos e abraços dos filhotes e entrega de prendas (tudo feito pelas crianças) seguido de um pequeno almoço preparado pelos 5 (a mãe só supervisionou). Depois de comer aquele delicioso pequeno almoço, o pai teve a honra de ir levar os rapazes à escola. De tarde o pai teve o lanche na sala do Tomás e na sala do Gabriel e do Eduardo, ambos à mesma hora, por isso teve de se desdobrar para participar nas actividades das duas salinhas. O pai adorou aquela tarde passada com os filhotes na escola, vinham os quatro muito felizes e animados. Quando vieram para casa, as meninas tinham preparado uma sessão de jogos para fazer com o pai e foi muito engraçado de assistir. Depois de jantar, uma sessão de cinema no sofá, com direito a pipocas e tudo.
O saldo do dia foi bastante positivo, com os filhos e o pai imensamente felizes e orgulhosos.

Corrente de força

A pedido da Ana coloco aqui o simbolo da corrente de apoio à Susana.
Que o sonho se torne real muito muito em breve!