sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Da gravidez

Não tenho escrito muito acerca desta gravidez e hoje achei que era boa ideia mudar isso. Felizmente está tudo a correr bem, tão bem que se não fossem pela barriga e os movimentos do rebento, julgaria que não estou grávida. Caindo no lugar comum... Nem acredito que já se passaram 18 semanas, parece que ainda foi ontem que descobri que tinha dentro de mim mais uma vida a pulsar.

Fomos, eu e o pai, à consulta há poucos dias. Tudo bem com a mãe e com o/a bebé. Estava com medo de subir para a balança mas até que ela foi gentil e não acusou muito peso a mais. Saimos da consulta a saber o sexo do nosso rebento mais novo! Mas por enquanto é segredo pois a médica sugeriu-nos que não dissessemos nada aos filhotes e que em vez disso, os levássemos na proxima consulta que ela ia mostrar-lhes. Escusado será dizer que achei esta ideia maravilhosa. Acho que as minhas filhas vão adorar serem elas próprias a descobrirem se vão ter um irmãozinho ou uma irmãzinha. Quando chegámos a casa depois da consulta tivemos de dizer uma pequenina mentira às meninas, que estavam ansiosas por saber o sexo do bebé. Ficaram um tanto ou quanto desanimadas por não saberem já mas creio que vai ter ainda mais impacto quando elas virem com os próprios olhos no ecrã (isto se conseguirem perceber eheh). Nós pais ficámos muito felizes por saber o sexo mas iamos ficar felizes na mesma, fosse qual fosse o género. Muitas vezes quando me perguntam se prefero menino ou menina ou quando me dizem "agora devia vir uma menina para a conta ficar certa", respondo, na brincadeira, que prefiro que seja um menino pois assim tenho "desculpa" para engravidar mais duas vezes para, como tanta gente faz questão de realçar, igualar as contas.
Achei engraçado fazer uma sondagem sobre o sexo do bebé por isso, toca a votar. Estou curiosa para saber o que vocês acham!

Estou em falta com as visitas aos vossos cantinhos mas tem sido de doidos, não tenho tido tempo nenhum para estar ao computador e, na maioria das vezes, quando tenho tempo/ paciencia, tenho as minhas filhas (sim, aquelas catraias de 10 e 8 anos) a usar o computador para falar com as amiguinhas através do messenger.

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Selinho da amizade

Recebi este lindo selinho da amizade da Cláudia, mamã da Daniela!
Muito obrigada!
É lisonjeador saber que sirvo de inspiração.

A Corrente funciona assim:

* cada participante indica mais dez. Com o objectivo de agradecer a partilha dos seus interesses, confissões, pensamentos, artes, etc.

* depois de escolher, devemos fazer uma visita ao blog de cada um dos convidados e deixar um comentário avisando-o da integração na corrente.

A parte do indicar mais dez está a ser muito complicada... Por isso vou indicar todas as meninas que aqui costumam passar (sei que passa um pouco ao lado da ideia da corrente mas....).

terça-feira, 25 de setembro de 2007

Cá estamos de volta após um desaparecimento forçado, uma semana cheia com horários a cumprir e uma mãe doente.

A segunda feira, dia 17, trouxe o começo das aulas da Camila e da Beatriz, sendo que da Beatriz tinhamos a apresentação com a professora. A manhã começou cedo e atarefada com o despachar os miudos, arranjar pequenos almoços, lanches para meter nas mochilas das mais velhas e duas birras dos mais pequenos para calar. Conseguimos sair de casa a tempo de chegar a horas às escolas, o que foi bastante bom. Primeiro deixámos a Camila no portão da escola e lá foi ela toda contente ter com as amigas, nesta altura estava a Beatriz mais triste por este ano não ficar na mesma escola que a irmã. De seguida, deixámos o Tomás e os gémeos na escolinha. O Tomás ficou bem, aliás, nem tive direito a beijinho de despedida porque ele foi logo ter com os amigos que já estavam na brincadeira. Os gémeos por seu lado, ficaram a chorar baba e ranho quando os entreguei à educadora e me despedi deles. Saí da escolinha com o coração bem apertadinho ainda para mais porque ao chegar ao portão ainda os conseguia ouvir a chorar. Tive de me forçar a não voltar para trás para os ir buscar e segui para ir à apresentação da Beatriz. Estávamos nos na apresentação quando me telefonam da escola dos meninos a informar que o Gabriel tinha vomitado e estava com uma pontinha de febre pelo que tinhamos de o ir buscar. O pai ficou na apresentação com a Beatriz e eu fui direita à escolinha para ir buscar o Gabriel e trouxe também o Eduardo. Durante o resto do dia o Gabriel não tornou a vomitar nem teve mais febre e esteve bem disposto a brincar com o irmão em casa. A tarde decorreu com a normalidade costume e a meio da tarde fomos buscar a Camila e a Beatriz que vinham cheias de novidades para contar. Na terça feira amanheci com febre e com tonturas cada vez que levantava a cabeça por isso coube ao pai despachar os filhotes e deixá-los nas respectivas escolas. Como o Gabriel não teve mais febre nem vomitou, foi à escola também. Foi fácil deixar os mais velhos mas o mesmo não aconteceu com os gémeos mas como o pai é bastante prático lá arranjou maneira de deixar o Eduardo e o Gabriel sem ficarem a chorar. E que maneira foi essa? Disse-lhes que ia só num instante comprar um pacote de sugos para cada um e que eles ficavam ali à espera dele. Quando liguei a meio da manhã para saber deles, disseram-me que a manhã estava a ser calma, que depois do pai ter saido ficaram um tempinho sentados na frente do portão à espera do pai com algum choro mas pouco e mais por parte do Gabriel do que do Eduardo mas que pouco depois tinham ido brincar no escorrega, e que era para não me preocupar que eles estavam bem. Quando o pai os foi buscar de tarde, encontrou os 3 filhos a brincarem no recreio e entregou-lhes os sugos prometidos. Durante o resto da semana, aqui a mãe esteve remetida à cama e o pai ficou encarregue de todas as obrigações e saiu-se mesmo muito bem. Durante toda a semana funcionou bem a "chantagem" dos sugos, pode não ter sido a melhor psicologia mas ajudou e acabou por descansar um pouquinho o nosso coração de pais. Mas hoje, voltámos ao choro sentido quando os deixei na escolinha e confesso que não ia nada preparada para tal... Tentei que eles parassem de chorar mas como não consegui, tive de os deixar a chorar e ir embora com o coração bem apertadinho e uma vontade enorme de chorar mas qual não é o meu espanto quando uma hora depois ligo para a escola para saber como eles estavam e me dizem que o Eduardo e o Gabriel pararam de chorar uns minutos depois de me ter ido embora e que estão todos felizes da vida a brincar com os colegas! Aos poucos vão-se adaptando à escolinha.

Quanto às meninas, a Camila está a adorar a escola nova e os professores, já tem testes marcados e fez questão de os apontar no calendário que temos preso na porta do frigorifico para além de os apontar no quadro do quarto delas; a Beatriz também está a gostar das aulas embora me diga que já está cansada de fazer revisões pois quer aprender a matéria nova.
Aos poucos todos vamos entrando na nossa nova rotina e tudo se vai ajustando.


Cláudia, mamã da Daniela, muito obrigada pelo miminho!
E obrigada a todas pela força em relação ao mau bocado que passámos para deixar o Eduardo e o Gabriel na escola.

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Novo ano lectivo II

Fomos hoje à apresentação na escola da Camila. Tivemos uma sessão de boas vindas aos pais e novos alunos em que nos mostraram a escola e nos explicaram o funcionamento dos vários serviços lá existentes (refeitório, bar dos alunos, secretaria, biblioteca). De seguida tivemos a apresentação com a directora de turma da Camila onde tivemos conhecimento de regras da escola e do funcionamento em geral da escola e das aulas. Recebemos a lista do material a comprar para cada uma das disciplinas e foi nisto que se passou a manhã. A Camila estava bastante satisfeita porque ficou na turma com a maior parte dos seus amigos e aqui a mãe dela satisfeita porque a turma dela ficou com o horário da manhã, o que facilita bastante para levar todos à escola e ir buscar na hora de almoço e apanhá-los à hora de saída. É menos uma coisa com que me preocupar.

As aulas começam a sério na segunda feira sendo que segunda tenho a apresentação da Beatriz. Mas no caso da Beatriz já sabemos que a turma se mantém, com excepção de algum aluno novo que se tenha inscrito, e a professora é a mesma do ano passado.

Quanto ao senhor Tomás, tem ficado muito bem na escola, acorda de manhã sempre bem disposto e cheio de vontade de ir para a escola. Gosta bastante da sala nova e de todas as actividades novas que lá existem.

Já o Eduardo e o Gabriel são uma história completamente diferente... Tem sido um pesadelo. Choram para ir dormir de noite, acordam imensas vezes de noite (mais o Gabriel que o Eduardo) e só tornam a dormir quando os colocamos na nossa cama ou quando um de nos se deita na cama deles, fazem uma birra inimaginável para sairem da cama de manhã, fazê-los tomar o pequeno almoço é praticamente impossivel e para entrar no carro é outra pequena grande luta. Vão o caminho todo naquela sinfonia de choro e tenho, literalmente, de os arrastar para entrarem na escola. Está a ser mesmo muito complicado para eles adaptarem-se à escolinha e começo a pensar que talvez tenha sido uma má ideia esta. Se nesta semana que têm ido só 2 horinhas de manhã e tenho ficado sempre lá por perto deles, que eles não me largam as saias, tem sido esta luta, nem quero imaginar como vai ser para a semana quando eu já não ficar por perto. Tenho sempre a esperança que eles se comecem a adaptar muito em breve, até porque eu não vou aguentar muitos mais dias vê-los a chorar daquela maneira sentida e a pedirem para irmos embora sem chorar também e sem os pegar ao colo para nos irmos embora (sim que isto de deixar os nossos filhos na escola a chorar não se torna mais fácil mesmo quando já o fizemos com 3 antes).A ver vamos o que vai acontecer na próxima semana...

quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Novo ano lectivo

Na terça feira,foi o recomeço da terapia da fala para o Eduardo e o Gabriel e não podia ter corrido pior. Muito choro, muito grito, muito espernear e nenhuma cooperação por parte dos dois. Estava à espera que fosse complicado, que eles entrassem timidos e demorassem a ambientar-se mas só isso, mas nunca imaginei que reagissem como reagiram. E esta reacção faz-me ficar ainda mais de pé atrás com a nossa decisão de os meter na escolinha este ano. Eles não se mostram nada contentes com a ideia de ir para a escola. Sei que em grande parte se deve ao facto de desde sempre terem ficado comigo em casa. Sei também que eles fizeram muitos progressos no que se refere à capacidade de comunicação (que era algo que nos faziamos questão que acontecesse antes de os inscrevermos na escola) e que neste momento já são capazes de se fazer entender na maioria das vezes mas tenho receio que seja um passo para o qual eles não estão ainda preparados, que as educadoras não os consigam entender e eles se sintam mal com isso e que, tendo algum problema, não se consigam fazer entender e o problema se torne maior. São certamente duvidas sem fundamento mas é o que se passa na minha cabeça neste momento... Amanhã vamos até à escolinha com os gémeos falar com a directora e com as educadoras, ver como eles reagem e ver se é a melhor decisão, a de os levar para a escola este ano.

Ainda no assunto escola... Já chegaram os livros da Camila e da Beatriz (que arrombo que foi na conta bancária e ainda faltam as mochilas e o material que os professores vão pedir, mais a roupa de inverno). Elas já andaram a folhear os livros e a travar conhecimento com as materias, estão entusiasmadas por começar as aulas. E começam no dia 17 deste mês. Para a Camila é um ano de mudanças, já que o 5º ano é bastante diferente da primária mas estamos a contar que ela se adapte bem e que continue boa aluna; deixa também de estar na mesma escola que a Beatriz. O Tomás começa no dia 10 a ir à escola e está todo contente porque este ano são os mais velhos da escola e porque já não há sesta para ninguém. Entretanto fomos inscrever a Camila e a Beatriz no hip-hop, o Tomás e a Beatriz na equipa de futebol e o Gabriel e o Eduardo na natação mas como ainda não sei o horário da Camila, ainda está tudo meio no ar. Espero que o horário dela seja bom, de preferencia da parte da manhã para ser mais facil de conciliar com os horários dos irmãos. Mas a ver vamos...

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Das férias II

A melhor compra das ferias foram os camaroeiros que comprámos para os miudos. Nunca pensei que eles lhes dessem tanto uso mas o que é certo é que serviram para muitas coisas diferentes: para apanhar peixes no rio, para apanhar caranguejos, moscas, apanhar gafanhotos e até um louva-a-deus! O tempo que eles se aguentavam à procura dos bichos para os apanharem, nunca pensei, e no final da brincadeira acabavam por soltar sempre os bichinhos.

Foram 1€50 (x3) muito bem gastos. As crianças são faceis de contentar, felizmente.

Claro que não serviram só para coisas boas, também serviram "de arma de guerra" no meio de algumas pequenas zangas entre as crianças mas nada que nos tenha obrigado a esconder os ditos.

Das férias

Não que assim contado tenha muita graça, que não tem. Teve graça foi no momento e o ar dela ao dizer mas mesmo assim, aqui fica o relato.

Num dos dias em que decidimos fazer um almoço de piquenique, calhou passarmos por umas esplanadas de uns restaurantes na hora de almoço, enquanto andávamos a passear (ou a derreter com o calor). A Beatriz ia ao meu lado. Olha para o lado e vê um grande prato de batatas fritas e com um ar muito desolado vira-se para mim e diz "Grande prato de batatas fritas que aqueles têm e eu vou ter de comer uma sandes!"


Criança sofre!

domingo, 2 de setembro de 2007

8 anos

Beatriz,

há 8 anos juntaste-te a mim, ao teu pai e à tua irmã e imediatamente tornámo-nos uma familia (ainda) mais completa. É dificil pensar que já se passaram 8 anos desde esse dia. Há momentos em que eu penso que te conheço de toda a vida e outros em que penso "mas quem és tu?" e mal consigo acreditar que estás conosco há tanto tempo. Aprendo um bocadinho mais sobre ti a cada dia que passa e a cada dia que passa tu ensinas-me um pouco sobre mim.

És uma menina maravilhosa- e não por algo que o teu pai ou eu possamos ter feito, vem mesmo de ti. És uma criança segura de ti mesma, determinada e teimosa. Por vezes temos de nos forçar a lembrar que só tens 8 anos quando confrontados com a tua maturidade, o teu sentido de responsabilidade, o uso de palavras e expressões que a maioria das crianças da tua idade desconhece e não emprega. Nestas alturas sinto receio de que, de alguma forma, te tenhamos forçado a crescer demasiado depressa e que percas cedo demais o teu lado de menina. Mas depois, tão depressa como a duvida vem, passa, ao olhar para ti a brincar com as tuas bonecas e ao ver o sorriso nos teus olhos ou quando vens ter conosco e nos pedes um miminho. A tua versatilidade de tão depressa andares a correr atrás de uma bola ou a jogar aos berlindes como logo a seguir estares sossegada a brincar com bonecas ou com loucinhas é algo que me fascina. Como consegues tu gostar de coisas tão diferentes e integrá-las na tua vida e maneira de ser de forma tão fácil e natural?

Hoje, um dia cheio de sol e de calor, a tua festa de anos. Mais sorte do que no ano passado, mais amigas tuas já voltaram de férias e vieram partilhar contigo o teu dia. Adultos e crianças com quem partilhas o teu entusiasmo para com a vida e a felicidade que te está espelhada nos olhos, no sorriso, no rosto e nas gargalhadas. A tua energia e alegria são, sem sombra de duvida, contagiantes.

Tu, tal como todos os teus irmãos, és uma parte de todas as partes do meu ser. Feliz aniversário Beatriz!

Amo-te muito,
Mãe.