segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

Boas entradas!


Que 2008 vos traga tudo o que mais desejam!!

sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Natal

Agora que passou a correria do Natal, estamos de volta! Peço desculpa a todos por não ter ido a cada blogue pessoalmente desejar um bom Natal, tal como eu queria, mas não houve mesmo oportunidade.

Que tal o vosso Natal? O nosso foi óptimo! Cheio de saúde e na companhia da família. O dia 24 foi passado com muito boa disposição e muitas asneiras à mistura que iam piorando em quantidade e gravidade com o passar das horas mas felizmente que pelas 22 horas já os mocinhos se tinham rendido ao sono. O jantar estava maravilhoso - que bem que me soube aquele bacalhau cozido com couves- e a companhia melhor ainda!

A manhã de 25 foi a euforia geral! 5 miúdos excitadissimos e felicissimos com os presentes que o pai Natal lhes deixou nos sapatinhos. O dia foi passado na brincadeira com eles, a experimentar os brinquedos novos e com muitos mimos à mistura, sempre na companhia da familia.
Que para o ano o nosso Natal seja igualmente bom e com a companhia de toda a familia.

Pedido

Rita (Rita&Tiago) e Sara CS, será que me podem enviar o vosso mail para eu pedir o acesso ao vosso blogue sff? Se não quiserem deixar o vosso mail nos comentários, enviem-me um mail sff. O meu mail é maria.mae.antunes@gmail.com. Muito obrigada!

segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Feliz Natal!

Agora que já temos a Beatriz em casa o espirito Natalicio está de volta!

A todos que nos lêem, os votos de um feliz Natal, cheio de amor e saúde, prendinhas também, na companhia dos que mais amam!




domingo, 23 de dezembro de 2007

Continua internada a Beatriz mas felizmente está a melhorar! Hoje estava com muito melhor cara e já começou a tolerar pequenas quantidades de comida e bebida no estômago. Está farta de estar no hospital, cheia de vontade de vir para casa, para a caminha e coisinhas dela. Mas se tudo correr bem, segunda feira de manhã já cá está.

Muito muito obrigada a todas pelas vossas palavras de apoio!

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Ficou internada... Até conseguir tolerar no minimo água no estomago fica a soro no hospital...

Tenho o meu coração bem bem apertadinho... Maldita virose!

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Infelizmente a Beatriz não melhorou, pelo contrário, foi piorando durante a tarde. Ao final da tarde quando o pai chegou, a temperatura dela estava perto dos 40º e já há um tempinho que ela estava a recusar beber o que fosse por isso fomos ao consultório da pediatra que nos mandou logo ir ao hospital com ela. Contra a vontade do marido (que o hospital é um antro de doenças e o que menos preciso agora é ficar doente) fui com eles até ao hospital, mais porque a Beatriz estava a chorar que queria que eu fosse. Estivemos imenso tempo à espera que ela fosse chamada, a urgência pediátrica estava cheia de miúdos no mesmo estado que a Beatriz. Quando finalmente a chamaram, o pai levantou-se com ela ao colo para a ir levar ao gabinete médico e eu segui ao lado deles. Então não é que o segurança não me deixava passar com eles?! E o pior nem foi isto, porque eu estou farta de saber (embora não concorde minimamente) que só pode entrar um acompanhante por criança, o pior foi mesmo o senhor não nos deixar explicar que não queriamos ficar os dois com ela, que o pai só a ia levar lá dentro porque como era visivel a menina não se aguentava em pé e eu com esta barriga era-me impossivel pegar nela! Estivemos uns bons minutos a tentar explicar ao senhor e ele sem deixar explicar até que o marido começa a avançar para entrar, eu vou atrás, e a dizer que vai levar a menina até ao medico e ele se quiser que venha atrás. Foi um espectáculo triste que só visto, nós a entrarmos e o senhor a vir atrás, quase aos berros, toda a gente a olhar, médicos inclusivé. Até que um médico pergunta o que se está a passar, ao que o meu marido relata o que se passou. Sabem o que o sr segurança disse depois de ouvir o meu marido falar com o médico? "Podia-me ter dito isso logo no inicio e tinha-se evitado toda esta confusão." Nós bem que tentámos, o senhor é que não nos deixou, sempre a interromper-nos! Com nervos à mistura, lá se resolveu tudo, fiquei com a Beatriz e o médico e o pai foi para a sala de espera.
O médico auscultou-a, tirou-lhe a temperatura e achou que o melhor era deixá-la em observação a soro, já medicada para baixar a febre. Estivemos assim até cerca da meia noite, hora em que o médico decidiu que o melhor era ela passar a noite em observação. Fui avisar o pai que já não me deixou voltar para dentro e que até já tinha telefonado ao meu pai para me ir buscar e levar a casa. Claro que não fiquei nada satisfeita pois queria ficar com a minha pequenina, não por achar que ela com o pai está mal entregue porque não podia ficar em melhores mãos mas mãe é mãe e não me parecia nada correcto ir para casa e deixá-la ali. Só que como não posso pensar só em mim, tenho de pensar também na embutida, vim para casa e o pai ficou lá.
Uma virose, diz o médico. O pai diz que ela passou uma noite melhor do que a anterior, o que só pode ser bom sinal. De manhã o médico disse que queria mantê-la pelo menos até à hora de almoço a soro e em observação. Estamos agora à espera que o médico volte da hora de almoço, para o pai saber como a Beatriz está e se já pode vir para casa (esperemos que sim!).
Passei uma noite péssima e ainda estou parva com aquela atitude daquele segurança! Como é que dão aquele serviço a pessoas tão sem tacto?!

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

E agora que a gripe se foi embora apareceu uma treta qualquer que atacou a Beatriz. Muita febre, muitos vómitos e uma prostração de meter dó!

Ontem de noite, no meio de tanto vomito, só me dizia que tem muito azar porque com tantos dias para ficar doente, tinha logo de ficar doente nas férias. Pobre criança!
Está a chá e água mas nem isto fica no estomâgo, ainda está a beber e já está tudo a vir cá para fora... E claro que com a água/ chá vem também para fora os medicamentos para a febre e vomitos e como tal, não passam os vomitos nem baixa a febre. Tentei convencer a Beatriz a deixar-me meter um supositório mas não consegui, teimosa a miúda! Entretanto telefonei há pouco à pediatra que me disse para continuar a insistir com a água e com o chá para evitar a desidratação e ir controlando a temperatura, caso ela logo ao final da tarde não esteja melhor, ficou a indicação para passar pelo consultório. Esperemos que durante a tarde isto tudo passe ou no minimo, melhore.

Dos nomes I

"Fica Concha esta e depois a próxima fica Adriana ou Francisca ou Clara como vocês querem."
Dito pela Camila, que já se deixou convencer pelo pai quanto à escolha de Concha para o nome da irmã.
Como podem ver, a coisa já não vai muito mal pois passámos de 6 para 4 sugestões.
Ah e caso não tenham reparado, esta minha filha, tal como o irmão Tomás, está convencida de que depois desta irmã ainda virá outra!

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Perdi a conta ao número de vezes que comecei a escrever este post. Começava a escrever mas apagava sempre antes de o postar pois achava que não era muito correcto publicá-lo, isto porquê se os blogues são privados é porque as pessoas não querem que qualquer um o leia. Mas como perguntar não ofende, desta vez resolvi publicar o meu "pedido":

Meninas que nos visitam e que têm os blogues com acesso privatizado, tenho curiosidade de vos ler para vos conhecer. Será que tal é possivel? Compreendo perfeitamente a resposta negativa. Espero sinceramente que não levem a mal o meu pedido!

domingo, 16 de dezembro de 2007

Doenças, Natal e afins

Uma noite durante esta última semana a Beatriz veio ter comigo e perguntou-me se o Pai Natal existe porque a sra contínua tinha dito que não existe Pai Natal, que são os pais e as mães que metem os presentes nos sapatinhos. Não sabia muito bem o que lhe responder mas acabei por lhe dizer o que me fazia mais sentido e me pareceu mais acertado. Disse-lhe que o Pai Natal existe enquanto ela quiser que ele exista. Parece-me que foi uma resposta satisfatória porque quando saiu de perto de mim, com um sorriso nos lábios, disse-me "Então o Pai Natal existe, ponto final.".

Eu sinceramente não entendo esta parvoíce dos adultos acabarem assim com a magia do Natal dizendo às crianças que o Pai Natal não existe. Que mal há em as crianças acreditarem? Pessoalmente, penso que faz parte do ser criança e não vem mal nenhum ao mundo nem faz mal aos miudos acreditarem. Têm o resto da vida toda para viverem sem ilusões. A sério que não entendo mas tenho noção que os miúdos começam cada vez mais cedo a deixar de acreditar. E tenho pena. Mas cá por casa, enquanto os meus filhos quiserem, o Pai Natal existirá e todos os 24 de Dezembro, enquanto eles dormem, virá bater-nos à porta (baixinho para não acordar ninguém) para deixar os presentes nos respectivos sapatinhos. (Bate à porta porque não cabe na chaminé.)
No dia 24 deve ser o dia de todo o ano em que eles adormecem mais cedo e sem uma única reclamação pois sabem que quanto mais cedo dormirem, mais cedo o Pai Natal passa pela nossa casa para deixar os presentes. Até dia 24 de noite, os únicos presentes que estão debaixo da árvore são os que são para nós oferecermos aos familiares e amigos. Os dos miúdos estão todos escondidos. No dia 24, antes de os deitarmos, cada um deles coloca o seu sapatinho perto da árvore de Natal. Depois de os deitarmos e de nos certificarmos que estão mesmo a dormir, tiramos as prendas dos esconderijos e arrumamos perto dos respectivos sapatinhos. Na manhã de 25, acordam (cedinho), acordam-nos a nós e descemos todos juntos para vermos o que é que o Pai Natal lhes deixou nos sapatinhos. É um momento de enorme alegria, um momento que eu não sei colocar por palavras mas que é imensamente bonito. Não demoram muito a sentarem-se no chão e a começar a rasgar os embrulhos para verem o que escondem, mostrando-nos todos os presentes depois de desembrulhados. A nossa manhã (minha e do pai) é passada a separar laços dos papéis de embrulho, a tirar bonecos de caixas, ler instruções, certificar-nos que não há brinquedos nem papéis de instruções a irem para o lixo por engano juntamente com os embrulhos e a brincar com eles. São sempre umas manhãs maravilhosas.
Esta semana, entrámos na semana em que todos os dias, os mais novos, nos perguntam quantos dias faltam para o Pai Natal chegar ou se já é a noite do Pai Natal chegar. Entrámos também na semana em que andam super excitados com a ideia de estar quase a chegar o tão esperado dia e por isso, muitas asneiras acontecem. Até desembrulharem as prendas isto vai-se manter assim, é preciso mesmo muita paciência.
Quanto à gripe que nos atacou, acabou por atacar o pai embora mais ao de leve, só se safou a Beatriz. A Camila recuperou a tempo de ir às aulas na sexta feira, último dia de aulas deste período, assim como o Tomás, mas ele não foi à escola. O Eduardo e o Gabriel, coitadinhos, foram os mais afectados e fizeram uns febrões horríveis, na quarta feira estava a ver que tinha de ir a correr com eles para o hospital pois não havia meio da febre baixar dos 40º. Lá conseguimos aguentar sem recorrer ao hospital. Mal comeram durante estes dias, cada refeição um suplicio maior que a anterior e até mesmo para os fazer beber água foi complicado, só queriam dormir e foi o que fizeram durante a maior parte do tempo. Mas felizmente ontem começaram a dar sinais de melhoria e estiveram mais bem dispostos embora o Gabriel ainda tenha tido uma pontinha de febre. Hoje nenhum deles fez febre e a boa disposição esteve presente. Eu também já estou boa, tive a sorte de não ter sido muito afectada senão seria complicado. Valeu-nos, também, a ajuda dos avós com os miminhos extra para os seus doentinhos.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Senhora Dona Gripe:

Sei que somos uma família simpática e que a nossa casa é acolhedora mas não havia necessidade nenhuma de nos teres vindo visitar uma vez mais!

Escaparam o pai e a Beatriz. Veremos até quando!

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Árvore de Natal

Montámo-la ontem, como é tradição cá em casa. Cheia de bolinhas e luzinhas. E não tarda é dia 25 de manhã e a árvore estará cheia de embrulhos coloridos, perto dos respectivos sapatinhos.
Adoro o Natal! Toda a magia associada, os preparativos da noite da consoada, o comprar as prendas para as pessoas que amo, o embrulhar as prendas e colocar laços, o jantar com a mesa ainda mais cheia do que é costume, o ser acordada cedinho pelos miudos para irmos ver que presentes o pai Natal deixou durante a noite. Adoro tudo isto!

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Do Pai Natal

No domingo fomos, como já vem sendo hábito de há uns aninhos para cá, ver o Pai Natal. Os miúdos iam radiantes com a perspectiva de ver o velhinho das barbas brancas. Estivemos um pouquinho na fila à espera da nossa vez e quando ela chegou lá foram os cinco (mais aqui a mãezinha pois um certo menino não me quis largar a mão). Em resposta à pergunta "Então e tens-te portado bem?" feita pelo Pai Natal, o meu filho Gabriel respondeu sem hesitação e com um ar muito sério "Não"! E como quem diz a verdade não merece castigo, parece que o rapazinho vai ter presentes no sapatinho na mesma.
É que anda mesmo numa fase em que o comportamento está péssimo... Muitas birras, a maior parte delas sem qualquer razão de ser, na escola nestes dias já ficou mais de duas vezes de castigo por mau comportamento, está constantemente a desafiar a nossa autoridade. Tem sido um grande teste à nossa (do pai e minha) paciência. Espero é que isto passe rápido.