quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Votos de Feliz Natal


Desejamos a todos que tenham um Santo e Feliz Natal, repleto de Paz, Saúde e Amor!

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Pré-Adolescência

Isto de se ter uma pré adolescente em casa tem muito que se lhe diga! Ai tem tem!
No fim de semana aproveitámos para ir fazer umas compras de roupa (o minimo indispensável que os saldos estão quase aí) para a Camila já que as dela lhe estão a ficar pequeninas. Foi uma tarde deveras stressante!
Entrámos na primeira loja e nada lhe agradou. O mesmo na segunda e na terceira (e olhem que haviam coisas muito engraçadas). Quis voltar à primeira para ver melhor e assim foi. Na loja eu ia pegando em algumas coisas que achava giras e ia-lhe mostrando e dizendo que eram giras e lhe deviam ficar bem, ela ia revirando os olhos a cada proposta. Ao fim de um longo tempo lá encontrou uma camisola que achou girissima e quis ir experimentar, eu nem tinha gostado muito da camisola mas pensei "finalmente encontrou algo que gosta, deixa-a lá" e fomos para o provador. Veste a camisola, olha-se ao espelho e desata a enumerar uma imensidão de defeitos! Dou-lhe a minha opinião, dizendo-lhe que a camisola não é das que eu mais gosto mas que lhe fica muito bem, a irmã também lhe diz que gosta de a ver com a camisola e que é muito gira mas na opinião dela a camisola fica-lhe horrivelmente mal. Toca de arrumar a camisola e voltámos à estaca zero, com o humor da Camila cada vez pior.
Tentamos uma outra loja, pode ser que seja desta. Damos uma volta e ela repara numa camisola, muito gira por sinal, vai experimentá-la e gosta de se ver com ela. Decide que quer a camisola e damos mais uma voltinha para procurar outras coisas eventualmente. Lá trouxemos essa tal camisola, umas calças e dois casaquinhos.
Ontem de noite decidiu que hoje iria vestir a camisola nova. Estou eu no quarto ao lado a despachar os meninos quando a ouço começar a refilar com a camisola! Desci, fingindo que não a estava a ouvir para evitar chatear-me com ela porque tanta refilice junta já me estava a mexer com os nervos. Quando chega à cozinha, olho para ela e vem com outra camisola vestida! Diz-me "aquela camisola é um nojo". Claro que levou um sermão daqueles! Então foi ela que escolheu a camisola e que a quis comprar e agora já não gosta dela?! Só não a obriguei a ir trocar de camisola porque já estávamos em cima da hora senão podem ter certeza que ia com a camisola nova vestida.
Haja paciência para aturar estas mudanças de humor e de gosto tão repentinas!Lembro-me de ter passado uma fase assim, em que parecia que todos os dias os meus gostos mudavam, mas não me lembro de isso ter acontecido tão nova!
Isto tudo só me faz pensar que se isto é assim aos 11 anos, nem quero imaginar quando a Camila tiver 15! Ou será que se for assim agora, aos 15 anos elas são uns amores?

terça-feira, 25 de novembro de 2008

9 meses!

9 meses de ti, Concha!
9 meses de muitas descobertas, gracinhas, amor e mimos...


Tens um sorriso lindo com 4 ratinhos à mostra, já corres a casa toda a gatinhar e todos os olhos são poucos para te vigiar. As noites ainda estão longe de serem perfeitas mas és uma bebé tão meiga e mimosa que te vais safando.
Estás tão crescida que às vezes até parece mentira que tenha passado já tanto tempo...

Brrrrr! Frio!

Estava tanto frio esta manhãzinha quando fui buscar o pão lá fora que só me apeteceu deixar os meus filhotes no quente de casa e passarmos o dia em frente à lareira a ver filmes e jogar jogos.
Creio que me custou mais a mim do que a eles o sairem das camas quentes quando os fui chamar. Lá sairam de casa todos equipados com casacos, luvas e cachecois.
Quanto a mim, voltei para casa gelada e instalei-me em frente à lareira a embrulhar os presentes de Natal dos miúdos na companhia da Concha.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Meninas que durante a minha ausência tornaram os blogues privados,
será que vos posso continuar a ler?
Estou a pensar seriamente em gravar um cd. Fazer uma colectânea das frases mais ditas por mim ao longo do dia. Poupava um enorme trabalho à minha voz.
Ultimamente as frases mais ditas têm sido algo como "desçam as escadas devagar/como deve ser" e "nada de saltos nas escadas". Tem sido demais e estou para ver o dia em que um deles se vai magoar a sério (que sem ser a sério até já lhe perdi a conta às vezes que aconteceu). Tinha esperança que eles não descobrissem as brincadeiras possíveis de se brincar nas escadas... Mas o que é certo é que descobriram e fizeram delas as suas brincadeiras de eleição.
Deviamos ter pensado numa casa sem escadas... Ah deviamos deviamos!

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Falta muito tempo para o Verão voltar?

Ou:
Maldita gripe!
Ou:
Raio do tempo que não se decide!
Ou:
Felizmente que tomaram a vacina para a gripe!
Fechada há 3 dias com os três mais novos com gripe...

domingo, 2 de novembro de 2008

A falta de tempo tem sido mais que muita e tenho deixado muito por registar... A maior parte das coisas já nem me lembro... Sou assim, a maioria das coisas, se não as escrevo acabo por me esquecer.
Este ano lectivo tem sido dificil de conjugar os horários de todas as actividades. Há dias em que há actividades com horário a coincidir mas que decorrem em sitios diferentes, outros em que os horários sendo diferentes acabam por ir chocar entre si... Resumindo, tem sido uma trabalheira! No outro dia dizia-lhes, na brincadeira, que talvez devessem escolher todos a mesma actividade e só uma para facilitar a vida aqui à motorista. Claro que não foi uma proposta, mesmo a brincar, nada bem aceite. Vendo a coisa pelo lado positivo, eles estão a adorar as actividades e servem bem para ajudar a descarregar a energia que não gastaram na escola.
O ano lectivo tem, no geral, corrido bem a todos. Com um ou outro problema mas é mesmo assim que é. A Camila já começou com os primeiros testes, que têm corrido bem e tido bons resultados, embora ela ainda fique nervosa na noite anterior ao teste. A Beatriz este ano tem dado mais que fazer, está mais irrequieta e tagarela na sala de aula e já vieram 2 recados para casa a alertar-nos para esta situação. Esta semana começam as fichas de avaliação, vamos ver se as boas notas se mantêm ou se o comportamento está a interferir na aprendizagem. O Tomás, depois dos primeiros 3 dias, passou a adorar a escola e é um gosto ver a alegria dele quando chega da escola e nos conta o seu dia. O Eduardo e o Gabriel também tiveram um período em que foi muito dificil deixá-los ficar na escolinha, com muito choro e birra, mas felizmente foi um periodo rápido e agora ficam bem na escola e passam bem o dia.
Os finais de tarde são um tanto ou quanto complicados e é aqui que noto mais a falta de tempo. É ir buscar uns, deixar outros, ajudar nos tpc's, ajudar a estudar para os testes, brincar com eles, fazer o jantar (felizmente que isto não é todos os dias, é uma grande ajuda não ter de me preocupar com o jantar), dar/orientar banhos, dar jantar, aturar birras, ler histórias, deitá-los e esperar que adormeçam todos rapidamente. Mas tudo se faz, felizmente, e não posso negar que, embora me canse, esta agitação toda completa-me e faz-me ser imensamente feliz.
São 10:40.
Lá fora o sol brilha, distaindo-me do frio que se faz sentir.
Cá dentro, não se ouve vivalma. Toda a casa dorme. Coisa nada normal a um domingo. Tenho o Tomás e a Concha a dividirem "o meio" da minha cama e do pai, com o pai. O Eduardo a dormir na cama juntamente com o Gabriel na cama deste. Só as mais velhas se mantém nas suas respectivas camas.
Sabe-me bem esta calma. O circular pela casa tentando fazer o minimo de barulho possivel para não lhes incomodar o sono, o espreitar para os quartos e vê-los a dormir, vir para aqui com uma caneca de chá quente na mãos e aproveitar o silêncio...

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Tempo (ou a falta dele)

Preciso desesperadamente de tempo! Alguem sabe onde o posso arranjar?

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

7 meses

7 meses... Já?!
O tempo voa e eu mal tenho escrito sobre ti... Mas não por falta do que contar.
Estás gira e engraçada, sorris muito e facilmente. Gostas de estar sempre acompanhada e, de preferencia, que a companhia interaja contigo. E se esta tua faceta não se fazia notar nas férias, com os manos em casa e sempre prontos a brincar contigo, o mesmo não acontece agora com eles na escola.
Deliras com os manos e as palhaçadas que eles fazem para te fazer rir. Já te sentas sozinha e pôes-te de gatas mas ainda não gatinhas. Não por falta de incentivo dos manos, que andam de gatas perto de ti e te incentivam a imitá-los. Mesmo não gatinhando, consegues ir chegando onde te interessa, nomeadamente aos brinquedos dos teus irmãos.
Já fazes duas refeições de colher. As papas e a fruta marcham que é uma maravilha, já à sopa ofereces um pouco mais de resistência mas também acabas por a comer bem. Quando já estás de barriguinha cheia, fechas a boca e não entra mais nada.
As noites continuam a não ser das melhores, contigo a acordar várias vezes durante a noite quer para mamar, quer para receber uns miminhos. Mas esperemos que em breve tenhas dó aqui da mãe e comeces a dormir mais tempo seguido.
És a nossa princesinha pequenina.

terça-feira, 9 de setembro de 2008

199,10

Foram os €€ que deixei na papelaria só em livros para os meus 3 estudantes. A esta quantia falta juntar todo o outro material escolar exigido por cada professor (lista essa que nos será entregue no dia da apresentação, quinta feira - no caso da Camila- e Sexta feira - para a Beatriz e para o Tomás) e a roupa nova - porque raio os miudos crescem tanto no verão?! Lá vai a nossa conta ficar um tanto mais pobre.
Esta semana vai ser para tratar do regresso às aulas e dia 15 lá vão os meus estudantes iniciar um novo ano lectivo.

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Muito obrigada a todas pelos votos de feliz aniversário aos meus pequenos!
Foram datas comemoradas com muita alegria e diversão. O Tomás teve a sua festa organizada tal qual ele pediu, foi uma tarde inteira cheia de diversão na companhia de amigos e familiares. Quando o fui deitar naquela noite, depois de ter adormecido no sofá a brincar com os presentes, disse-me um obrigado e tornou a adormecer!
O Eduardo e o Gabriel, por estarmos de férias, não tiveram uma festa em casa mas nem por isso tiveram um dia menos em cheio. Tiveram direito a um restaurante quase inteiro a cantar-lhes os parabéns. E o espanto naquelas carinhas com o que se estava a passar! A tarde foi de muito passeio e brincadeira.

Domingo dia 31, ao final do dia, chegámos de férias. Por ser tão em cima da hora, a filha Beatriz sabia já desde que marcámos as férias que não teriamos tempo de organizar uma festa para dia 1 e ficou acordado que a sua festa seria a 6 de Setembro. O que ela não sabia é que lhe esperava uma grande surpresa dia 1! Pois é, a Beatriz para o dia do seu 9º aniversário teve direito a uma festa surpresa organizada pelos avós e por uma grande amiga minha. Ficou tão surpresa e emocionada quando entrou na casa dos avós e viu os amigos todos lá que lhe vieram as lágrimas aos olhos. Foi uma tarde muito bem passada e foi bom demais ver a felicidade dela.
Por este ano acabaram as festas de aniversário dos miudos mas para o ano há mais!

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

domingo, 17 de agosto de 2008

Férias

Chegou a nossa vez de irmos de férias! Umas férias que vão começar a meio gás, com 3 crianças a recuperar de uma maldita gastroenterite mas contamos que tudo corra bem. Pelo meio temos a comemoração dos 4 anos do Eduardo e do Gabriel e muita muita diversão a 8.

Voltamos em Setembro! Até lá...

domingo, 3 de agosto de 2008

6 anos

Não é possivel exprimir em palavras o orgulho e o amor que sentimos por ti Tomás. Está bastante para além das palavras. Hoje, como me dizias ontem, passas a precisar de duas mãos para contar os teus anos. 6 anos. Há meses que andavas ansioso pelos 6 anos. A ida para a primária, associada aos 6 anos. A tua meta há já algum tempo...
O dia hoje é de festa, a tua festa. Organizada a teu gosto, com direito a banhos de piscina na companhia dos teus irmãos e amigos, um bolo de chocolate daqueles que adoras e muita alegria e animação. Tenho certeza que vamos ter o privilégio de ver o teu sorriso desdentado muitas vezes ao longo do dia.
Muitos Parabéns Tomás! Que os 6 anos sejam vividos em plenitude e cheios de todas as experiências que a idade merece.

quinta-feira, 31 de julho de 2008

Gosto tanto desta altura do ano em que a vila está cheia de vida. Cheia de caras novas de diferentes idades. Com muita animação e barulho.
A coisa menos boa (para além da dificuldade em estacionar ou do tempo que se demora no café ou numa loja) é a atenção redobrada que temos de ter com os miúdos que estão habituados a andar à solta por aí, sem perigos.
Hoje torno a ter os meus filhotes todos debaixo da minha asa! Embora goste que eles façam os seus vôos, ao fim de uns dias as saudades apertam muito e só apetece tê-los debaixo da asa de novo. Divertiram-se imenso, todos os dias tinham muito para me contar acerca do seu dia (tirando o sr Tomás, que andava sempre demasiado ocupado a brincar para poder atender o telefone).
Cá por casa também nos divertimos bastante. Por vezes foi complicado entreter as duas pestes tendo em conta os horários da Concha mas lá conseguimos arranjar umas actividades giras. Brincaram com plasticina e como se portaram tão bem (pelo menos da primeira vez, que da segunda já foi outra história e acabou com a Concha com plasticina na boca) no dia seguinte tiveram direito a brincar com barro. Fizeram, cada um, um pote para guardarem as canetas na secretária que, de seguida, pintaram. Fomos à piscina e à praia, sendo que ontem a Concha foi conosco fazer a sua estreia na praia. Até correu bem, não estranhou a areia (e olhem que apanhou com muita areia graças aos irmãozinhos) e esteve entretida enquanto os gémeos e eu faziamos construções na areia.
E já falta pouquinho para chegarem!

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Férias

Neste mês de férias com os 6 em casa, por incrivel que possa parecer, cansei-me menos do que no tempo de escola. Bom, não é assim tão incrivel visto que em tempo de aulas tenho de ir levar, buscar às escolas e às diversas actividades extra curriculares, ajudar em tpc's, ajudar em brincadeiras e tudo o mais e agora nas férias mal tenho posto a vista em cima dos meus filhos (tirando a D. Concha que continua dependente da mãe). Já o mesmo não podem dizer os meus pais, que os têm tido os dias todos com eles. Nos primeiros dias, acordavam com as galinhas (literalmente) e, tentando ser silenciosos, vestiam-se e iam para casa dos avós (que também acordam com as galinhas) tomar o pequeno almoço e entregar-se às diversas actividades que a casa dos avós oferece (fazer bolos com a avó, ir para a horta com o avô, cuidar dos animais com o avô, ver fotos com a avó, jogar à bola com ambos ou, simplesmente, nadar na piscina com os avós a verem). Almoço, tarde passada na brincadeira, lanche e, muitas vezes, jantar, tudo na casa dos avós sem me ligarem nenhuma. Como lhes deve custar muito fazer aquele (curto) caminho da nossa casa até à dos avós, a maior parte das noites passaram a ficar a dormir em casa dos avós. Como podem ver, quase que tive férias dos meus filhos.
Eu delicio-me com as risadas deles (avós e netos) que vou ouvindo, com a cumplicidade que lhes vejo e a felicidade que lhes sinto. Os meus filhos são uns sortudos e privilegiados por viverem assim perto dos avós (mais perto só se morassemos na mesma casa, que no mesmo terreno já nós moramos) e por poderem passar todo o tempo que desejam com eles, a brincar e a aprender.
Mas estas minhas "férias de filhos" estão, em parte, prestes a acabar já que amanhã os meus pais vão de férias. Levam com eles os três mais velhos, o Tomás esteve até à última para se decidir se ia mas lá se decidiu a ir e parece-me que não se vai arrepender. O Eduardo e o Gabriel ficam, tristes por não acompanharem os irmãos e os avós mas com a promessa de que vamos fazer coisas giras os três todos os dias (aceitam-se sugestões!!). Os avós iriam mais contentes se levassem os benjamins também mas eles ainda são muito novos nesta "arte" de dormir fora de casa e uma coisa é acordarem a meio da noite em casa dos avós a pedirem para virem para casa dos pais e outra muito diferente é acordarem a mais de 600 km de casa. Fica para o ano que vem.

quarta-feira, 9 de julho de 2008

E o tempo que não estica... Que o diga a quantidade de mails não lidos na minha caixa de correio à espera de resposta, as imensas novidades que foram surgindo nos vossos cantinhos que li em silêncio e a falta de actualização deste cantinho... E agora que até nem é muito tarde, com os putos todos a dormir, na teoria até podia aproveitar para ler/ responder aos mails e visitar os vossos cantinhos mas só mesmo na teoria porque na prática tenho uma pilha enorme de roupa para atacar antes que ela me ataque a mim. Enfim... Se alguma de vocês descobrir uma forma de esticar o tempo, lembrem-se de mim e partilhem sff!
Deixo um grande beijinho para cada uma de vocês e cá vou eu para o "castigo"!

quarta-feira, 25 de junho de 2008

4 meses - Concha

4 meses já...

És uma bebé muito simpática e sorridente. Dás gritinhos e ris para chamar a atenção de quem te rodeia, em casa ou na rua. Mas quem mais te rouba estas chamadas de atenção são, sem dúvida alguma, os teus irmãos. As tuas pernas e braços agitam-se de tal forma quando os ouves ou vês brincar que os teus irmãos costumam brincar a dizer que vais levantar vôo.

Continuas a mamar muito bem. Penso ser correcto dizer que já experimentaste tudo o que os teus irmãos (leia-se Eduardo e Gabriel) comem normalmente, já que te levam à boca toda a especie de alimentos. E tu não te chateias nada com isto.

Dormir não é contigo. Travas grandes lutas com o sono e primeiro que adormeças é um caso sério. Tens, por isso, dado umas noites muito más. Não és muito de chorar mas quando começas, é em alto e bom som e, muitas vezes, é dificil fazer-te parar logo. Uma das coisas que te causa o choro é, quando me exalto com as asneiras dos teus irmãos, ouvires-me levantar a voz ao ralhar com eles. Cá para mim os teus irmãos já te subornaram para evitarem que eu ralhe com eles! Estou tramada com a vossa aliança!

Cresces à velocidade da luz...

sábado, 7 de junho de 2008

1º ano

Ontem fui inscrever o meu filho Tomás no 1º ano e ainda nem acredito que o meu bebé já vai fazer 6 anos e vai para o 1º ano! No caminho para a escola, dei por mim a deixar cair umas lágrimas num misto de saudade - daquele bebé que ainda ontem estava aqui na minha barriga a dar pontapés - e de orgulho - do menino responsável e inteligente em que ele se tornou.
O Tomás está bastante entusiasmado com esta nova etapa na vida dele. No outro dia, estávamos todos à mesa a jantar e a falar do final do ano lectivo que se aproxima e o Tomás sai-se com um "Mal posso esperar para começar o 1º ano". É muito bom vê-lo feliz com isto pois acredito que assim é meio caminho andado para que tudo corra bem. Na próxima semana recebe o diploma de finalista da pré - algo que o está a deixar um pouquinho nervoso, que ele gosta pouco de ter muitos olhos em cima dele mas acredito que vai ser um momento muito giro.
Eles crescem...

quinta-feira, 29 de maio de 2008

Tanto pó e teia de aranha que por aqui vai neste cantinho! Tanto tempo sem cá vir! Culpa das gripes, constipações, alergias e do traumatismo craniano, pé partido, cabeça partida que nos vieram visitar. Com a ajuda de uma bebé que desaprendeu a dormir por culpa das maleitas que nem a ela lhe passaram ao lado e de um pai internado com uma pneumonia.
Como podem ver, não nos faltou "animação" e com que nos entreter. Espero que agora não nos surja mais nenhum problema e retomemos o nosso dia a dia normal. Aos poucos, voltarei.

terça-feira, 22 de abril de 2008

Extremos opostos

Um tenta de tudo para se esquivar do banho e toma banhos a fugir da água. A outra demora séculos com a água a correr e não há banho nenhum em que não tenha de ameaçar desligar a água quente.

domingo, 20 de abril de 2008

Primeira ida a um jogo de futebol profissional

Na quarta feira passada o Tomás foi com o pai até à capital para ver o jogo Sporting - Benfica. Eu estava bastante reticente quanto à ida a este jogo pois ouve-se falar tanto da confusão que há antes, durante e depois de encontros entre tamanhos rivais mas o Tomás estava tão contente com esta hipotese que decidi que não haveria problema. Não houve, felizmente, embora eu tenha passado o tempo todo com o coração nas mãos até à hora em que o pai me telefonou a dizer que já estavam na casa do amigo do pai onde iam passar a noite.
O Tomás adorou cada minuto daquele dia! Ia todo contente na viagem a dois, só ele e o pai, segundo o pai foram o caminho praticamente todo a conversar. Diz o pai que ao entrar no estádio estava literalmente de boca aberta tão maravilhado que estava com tudo. Durante o jogo também se portou muito bem, sempre muito atento ao que se passava em campo, embora estivesse um pouquinho triste por ver a sua equipa a perder mas tudo mudou e o Tomás vinha felicissimo com a quantidade de golos que foram marcados na segunda parte. Foi um dia tão cheio de emoções que demorou a adormecer, para grande azar do pai que estava super cansado e de manhã cedo tinha de conduzir de volta a casa.
Quando chegou a casa tive direito a um abraço enorme cheio de saudades e logo de seguida começou a contar-me tudo o que tinha visto e como se tinham passado as coisas.
Como me enche o coração ver os meus filhotes assim contentes!

segunda-feira, 7 de abril de 2008

1 mês, 1 semana e 6 dias de convivência a 8

Demorou mais do que estava a contar mas parece que finalmente conseguimos estabelecer uma rotina adaptada ao novo elemento e às necessidades dos restantes filhotes. Uma das alturas mais dificeis eram os finais de tarde, ter de conciliar os banhos, a ajuda nos deveres, o tempo para a brincadeira e mimos e os cuidados à Concha mas posso afirmar que, com mais trabalho e maior gestão do tempo, consegui vencer esta batalha. Embora nunca me tenha faltado ajuda (preciosa diga-se) sentia uma enorme necessidade de continuar a ser eu a dar conta do recado até para que os miudos não se ressentissem com a chegada da mana.
Felizmente continua tudo a correr bem. A Concha é uma bebé saudável e cheia de mimo que aprendeu que andar ao colo é uma maravilha e que resolveu que dormir não era para ela. Os manos continuam a ser carinhosos com a mana mais nova e bastante prestáveis. Os ciúmes apareceram cá por casa mas aos poucos estão a ir embora. Não foram ciúmes dirigidos nem ao pai nem a mim mas sim aos irmãos: o Eduardo com ciumes por causa da relação que o Gabriel estabeleceu com a Concha e o Tomás com ciumes por causa da atenção que as mais velhas dão à cachopa pequena.
No caso do Eduardo, ficava muito aborrecido quando o irmão em vez de brincar com ele preferia ficar com a irmã o que dava direito a um valente amuo e um acesso de mau feitio que numa ou noutra ocasião resultou numa pequena "agressão" à Concha. Agora começa a lidar melhor com a situação, juntando-se ao irmão quando ele prefere ficar perto da pequenina. O facto da bebé estar a perder o factor novidade também faz com que o Gabriel lhe comece a dar menos atenção e, consequentemente, passe a dar mais ao irmão.
O Tomás passou por uma fase de "elas (Camila e Beatriz) já não brincam comigo" e "elas não gostam de mim". Aqui, para além de me ter esforçado ainda mais por ter mais tempo para ele (assim como o pai) pedi a colaboração das irmãs para que brincassem mais vezes com ele. Elas foram impecáveis na divisão de atenção e parece que a insegurança dele passou.
Esta acalmia nos ciúmes e consequentes chamadas de atenção foi de grande ajuda para todos pois andamos mais calmos, mais animados e acabamos por ter mais tempo de qualidade para passarmos juntos uma vez que não temos de estar a acalmar birras ou a castigar alguém.
Tem sido uma gestão de tempo/esforço muito complicada mas sem dúvida de que vale a pena.
Está a faltar o relato da nossa aventura que eu já escrevi, à mão, e que falta ter tempo para passar para aqui. É o proximo item da lista mal tenha nova aberta de tempo assim como ir visitar os vossos cantinhos (aposto que há imensas novidades). À falta de tempo para vos visitar uma a uma... Um grande beijinho para todas vocês!

terça-feira, 1 de abril de 2008

Da Páscoa

Apesar de todo o trabalho que tive, valeu a pena porque foi um dia muito bem passado.
Este ano o coelhinho da Páscoa escondeu 6 ovos grandes e 90 ovinhos pequeninos. As crianças lá andaram todas entretidas a procurar os ovos por tudo o que era sitio e, acho que pela primeira vez, foram encontrados todos os ovos escondidos.
O almoço correu maravilhosamente bem e felizmente fez bom tempo, o que foi uma grande ajuda pois os miudos andaram entretidos a brincar lá fora enquanto os adultos metiam a conversa em dia.
Sem duvida alguma, a repetir para o ano.

Do dia do pai

O pai teve direito a um despertar muito especial: muitos beijinhos e abraços dos filhotes e entrega de prendas (tudo feito pelas crianças) seguido de um pequeno almoço preparado pelos 5 (a mãe só supervisionou). Depois de comer aquele delicioso pequeno almoço, o pai teve a honra de ir levar os rapazes à escola. De tarde o pai teve o lanche na sala do Tomás e na sala do Gabriel e do Eduardo, ambos à mesma hora, por isso teve de se desdobrar para participar nas actividades das duas salinhas. O pai adorou aquela tarde passada com os filhotes na escola, vinham os quatro muito felizes e animados. Quando vieram para casa, as meninas tinham preparado uma sessão de jogos para fazer com o pai e foi muito engraçado de assistir. Depois de jantar, uma sessão de cinema no sofá, com direito a pipocas e tudo.
O saldo do dia foi bastante positivo, com os filhos e o pai imensamente felizes e orgulhosos.

Corrente de força

A pedido da Ana coloco aqui o simbolo da corrente de apoio à Susana.
Que o sonho se torne real muito muito em breve!

segunda-feira, 31 de março de 2008

terça-feira, 25 de março de 2008

Um mês de ti...

Um mês de vida completas tu hoje, Concha. Um mês que passou mais parecia um segundo. Há um mês atrás, por esta hora, já tinhamos passado pela aventura que foi o teu nascimento e já te conhecia o rosto, o corpo, o cheiro e o choro.
Estás a crescer, arrisco-me repetir, à velocidade da luz. Descobriste que sabes chorar e que o choro é uma arma muito poderosa para obteres o que precisas(valham-nos uns irmãos muito atenciosos e eficientes a acalmar o teu choro de mimo). Estás cada dia mais atenta ao que te rodeia e gostas muito do barulho dos teus irmãos mas não muito próximo de ti (leia-se, 5 crianças a falar alto quase em cima de ti a disputar a tua atenção).
Dás umas noites razoáveis na maioria das vezes mas adormecer ainda tem de ser ao colo. São muito bons os nossos momentos a duas quando te adormeço no silêncio da noite. Muito bons mesmo.
Um mês...

quarta-feira, 19 de março de 2008

Dia do Pai!

Um feliz dia do pai a todos os papás!
Um beijo enorme para o meu pai e para o papá cá da casa que é o melhor pai que que eu podia desejar para os meus filhos!
Ando ausente. Motivo(s): uma piolha (Beatriz) doente, uma cachopa (Concha) que descobriu que sabe chorar e que o choro é uma arma poderosa, duas pestes muito pestes (Eduardo e Gabriel), avós paternos a ficar cá em casa, feitura do presente do dia do pai e do presente de anos do pai que faz anos amanhã, almoço de Páscoa este ano vai ser cá em casa... Assim que a vida nesta casa acalme, volto com todas as muitas novidades.

sexta-feira, 14 de março de 2008

11 anos

Faz hoje 11 anos que vieste ao mundo, Camila. Foi contigo que aprendi o que é ser mãe e não podia ter pedido melhor. Sempre foste muito paciente comigo, como se soubesses que parte da tua tarefa era ensinar-me a ser mãe. Cada dia estou mais rica e sábia com os teus ensinamentos.
11 anos... Quase que podia jurar que foi ontem que te vi nascer e que te segurei pela primeira vez mas ao olhar para ti dou conta da passagem do tempo: em ti, pouco ou nada se encontra já de bebé. Estás a crescer e a tornar-te uma bela mocinha. Bela não só por fora como, mais importante, por dentro. És um orgulho para todos os que te rodeiam. És muito terna e meiga, não gostas de ver os outros tristes e tens um grande sentido de justiça. Estás sempre pronta para aprender e para ensinar aos outros a sabedoria que os teus 11 anos de vida te permitem ter. Sei-te feliz, não só porque nos dizes e nos dizem, mas porque te vejo feliz, nos teus olhos e no teu sorriso. Que a felicidade esteja presente na tua vida, todos os dias, assim como o amor e a verdadeira amizade.
Hoje juntamos a familia para um jantar e para te cantarmos os parabéns. Amanhã será a festa com as amigas. Esperemos que o tempo coopere.
Feliz Aniversário Camila!
Amo-te muito,
Mãe.

segunda-feira, 10 de março de 2008

2 semanas de ti, Concha

Continuas uma bebé muito apressadinha que gosta bastante de colo. Começaste há uns dias a ter alguma dificuldade em adormecer sozinha e resmungas bastante até que alguém te vá ajudar a adormecer, normalmente com colo. Quem gosta muito desta tua nova "mania" é a mana Camila que se oferece para te ter ao colo até que durmas, coisa que não demora muito. Uma vez a dormir, dormes muito bem e completamente abstraida do barulho à tua volta. Mamas muito bem e manténs o teu horário de 3 em 3 horas. Já há uma semana que ultrapassaste o teu peso de nascença. Já tenho várias roupinhas que te deixaram de servir postas de parte, possivelmente para irem de volta para o sótão. Aos 8 dias caiu o cordão que nos uniu durante 9 meses, para grande alivio dos manos que não gostavam nada de ver o coto ali. És linda e, mais importante, saudável.
Correndo o risco de me tornar repetitiva... É verdadeiramente uma benção viver esta experiência de ser mãe, esta felicidade constante que mesmo com poucas horas de sono por dia e o cansaço de uma casa cheia de crianças me fazem andar sempre com um enorme sorriso na cara.
As novas rotinas estão praticamente implementadas embora o final de tarde ainda seja por vezes um tanto ou quanto caótico. Tenho a sorte de ter um marido que é um pai muito participativo e uns pais sempre dispostos a ajudar o que me tem facilitado bastante a vida, dando-me tempo para fazer umas sestas e estar com os mais velhos. Sou realmente uma sortuda pela bela familia que tenho.
2 semanas de ti, Concha. 2 semanas de muita alegria. 2 semanas de muito amor.
Aos poucos espero colocar as visitas em dia e dentro em breve, escrever sobre o parto.

segunda-feira, 3 de março de 2008

Há uma semana atrás...

...a barrinha era esta:

...eras recebida assim: "A Concha nasceu hoje a caminho do Hospital, dentro da ambulância!!, com 3.320kg.Muitos parabéns!!!!" no Baby boom.

...e no Babyblogs: "Bem Vinda Concha!!!! Nasceu a Concha da Mamã Maria, a 6ª benção de uma familia maravilhosa!!! A Concha nasceu às 39 semanas e 6 dias, ontem, dia 25 de Fevereiro de 2008, às 8h 08 com 3,320 Kg!!! Esta miuda tinha de deixar a sua marca!!! A Concha nasceu dentro da ambulância a meio caminho para o hospital, a mãe nem teve tempo de lá chegar!!! Ela é linda e perfeitinha. A Mãe e bebé estão bem segundo o papá babado!!! Muitos parabéns aos papás babados e aos maninhos mais velhos Camila, Beatriz, Tomás, Eduardo e Gabriel!!! Muitas muitas felicidades para toda a vossa maravilhosa familia, em especial para o novo membro!!! Beijocas ENORMES".

...a nossa vida mudou, ficámos mais ricos, mais completos e mais felizes. És fruto de um grande amor (assim como todos os teus irmãos) e espero que ao longo da tua vida te consigamos transmitir sempre isto.

sábado, 1 de março de 2008

Reacções à chegada da Concha

Concha: é, até agora, uma bebé bastante apressada que tem de ter as suas necessidades atendidas na hora mas não é muito dada a choros. Pelos vistos prefere o barulho dos irmãos ao silêncio: ontem adormeceu muito mais facilmente no meio da confusão/barulho dos irmãos do que nos dias passados na maternidade. É uma come e dorme, faz intervalos de 3 horas na maioria das vezes.

Camila: uma irmã mais velha muito babada, perde-se a contemplar a bebé. Já deu muito colo à mana e até já mudou uma fralda.

Beatriz: tal como a Camila, está completamente apaixonada pela Concha e gosta muito de ficar a vê-la dormir e dar-lhe beijinhos.

Tomás: gostou muito de conhecer a mana, quis pegar nela ao colo e tudo. Passada a euforia inicial, anda mais de volta dela quando vê os irmãos por lá.

Eduardo: Inspecionou muito cuidadosamente a mana no primeiro contacto mas não ficou muito convencido. Fartámo-nos de rir quando ele depois de ter acabado a inspecção disse ao pai que a podia levar embora que ele já tinha visto tudo. Apesar de tudo parece estar a reagir bem à presença dela.

Gabriel: foi o que se mostrou mais reticente em chegar perto da irmã, não a quis ver na primeira visita (ninguém insistiu também). Só no dia seguinte é que pediu para ver a irmã, que estava no meu colo, sentou-se ao meu lado na cama a olhar para a bebé, disse-me que a mana é linda e pequenina e pediu-me para pegar nela ao colo! Todo ele tremia quando o pai lhe passou a Concha para o colo. É o primeiro a aparecer quando a ouve choramingar e gosta muito de mexer nela, nem sempre com cuidado mas faz parte.

Nós pais, sentimo-nos imensamente abençoados com esta familia linda que construimos. Estamos num estado de felicidade permanente, diria mesmo que andamos nas nuvens mesmo com o cansaço que vamos sentindo. Estamos a tentar chegar a todos para que ninguém se sinta com a chegada da irmã, umas vezes com mais sucesso que outras mas até agora diria que estamos a sair-nos bem.

Uma vez mais, muito obrigada pelas vossas palavras!

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Em casa

Estamos em casa. Imensamente felizes e deslumbrados. Agora falta-nos acertar os ritmos e as rotinas. O tempo por enquanto é pouco mas assim que tiver uma aberta venho aqui contar a nossa aventura.

Muito muito obrigada pelas vossas palavras e por partilharem desta nossa imensa felicidade!
Abro uma excepção e deixo-vos aqui uma amostra da minha amostrinha de gente.
(foto retirada)

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Nasceu a Concha

Às 39 semanas e 6 dias nasce, apressadamente, a Concha. Tão apressadamente que a mãe nem teve tempo de chegar ao hospital. Nasceu na ambulância, a meio caminho para o hospital. Ficámos muito mais ricos quando às 8:08 a nossa Concha de 3kg e 320g veio ao mundo. Ela é linda e perfeitinha. A Mãe e bebé estão bem.



O pai.

domingo, 24 de fevereiro de 2008

39 semanas e 5 dias

Ainda cá andamos. A Concha ainda não se apresentou ao mundo até agora e, sinceramente, não me parece que ela se vá apresentar sem ser forçada a tal. Na quarta feira vamos ao hospital para por isto a andar que já vai sendo tempo da cachopa nascer.

Quarta feira chega rápido, chegas?

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Ontem lá fomos à consulta na pediatra. Conversámos bastante e está tudo bem com a Camila. A médica não vê necessidade de levar já a rapariga ao ginecologista, o que vai de encontro à minha opinião (e do pai também). Quando saimos da consulta fomos jantar como tinhamos planeado e foi bastante bom ter aquele tempo para me dedicar só a ela muito embora a nenina Concha tenha feito questão de fazer notar (ainda mais) a sua presença. Quanto ao livro, a Camila gostou bastante e, pelo que me apercebi, já leu muito. Acho o livro uma grande ajuda pois ali a Camila pode encontrar resposta correcta a duvidas que tenha ou possa vir a ter caso não me pergunte directamente ou caso não entenda a minha explicação.
Do nome da cachopa pequena... Sabemos que é um nome invulgar e que isso tem, como tudo, aspectos positivos e negativos mas acreditamos que os positivos são mais fortes que os negativos. Soa-me muito bem "Concha" e tem um grande simbolismo.
Começo a ficar ansiosa... Bastante ansiosa, diria. Não contava chegar tão longe nesta gravidez e não que seja mau mas neste momento o mau estar ultrapassa o prazer de estar grávida. Mas por enquanto não é a minha gravidez mais longa (e esperemos que não venha a ser). 40 semanas certas durou a gravidez da Beatriz. A Camila esteve no quentinho até às 39 semanas, o Tomas até às 38 e os gémeos até às 35. Espero que a Concha se decida rápido a nascer mas o mais importante mesmo é que corra tudo bem e ela venha cheia de saude.
Se isto são horas de se estar a pé... Aproveitei e fui espreitar os meus filhotes a dormir. Gosto tanto de os ver dormir. As meninas estão a dormir sossegadas nas respectivas camas no seu quarto, quarto esse que daqui a uns meses terá uma nova ocupante. O Tomás também dorme tranquilamente na sua cama, todo encolhidinho como dorme desde bem pequenino. A cama do Gabriel está vazia e a do Eduardo duplamente cheia. Vá lá, estão os dois tapados. Já lá vai o tempo em que me assustava quando os ia ver durante a noite e me deparava com uma das camas vazias. São comuns estas excursões. Estes miudos são tão unidos e amigos que nem durante a noite gostam de estar cada um no seu lado (e note-se que as camas deles estão pertissimo uma da outra). Deviamos ter optado por uma cama maior para os dois.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

39 semanas (e 1 dia)

Fomos fazer o CTG e a novidade é que não há novidades! Nada de contracções. Parece que depois daquele falso alarme a menina ficou sem vontade de vir enfrentar o frio e faz ela senão bem... Ou então não.

O Tomás diz que a mana ainda não nasceu porque não tem nome e ninguém pode nascer sem nome. Não vá o rapaz ter razão, decidimos, por unanimidade, que a nossa 6ª benção se vai chamar Concha. Pronto menina Concha, agora que já escolhemos o teu nome podes vir conhecer o mundo.
Não contava chegar às 39 semanas mas o que é certo é que cá estamos, com 39 semanas e 1 dia e sem parecer que ela vá nascer tão cedo, a ocupar o segundo lugar no baby boom! E pelo que fui vendo, dado que muitas das mamãs que estavam na nossa frente aqui no babyblogs já tiveram os seus rebentos, devemos estar nas posições cimeiras também aqui. Quem diria que iriamos chegar às posições primeiras!

Aproveitando a ida até à "cidade" comprei este livro para a Camila. Parece-me ser bastante bom e acho que ela vai gostar. Logo temos a consulta na pediatra e depois aproveitamos para jantar a duas (isto se eu tiver pedalada para tanto).

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Menarca I

Final da manhã, estava eu muito sossegada a fazer as minhas coisas quando ouço o telefone tocar. Um número que eu não conheço e o meu coração fica logo em sobressalto. Atendo e do outro lado uma voz que eu tão bem conheço: a voz da minha Camila. "Mãe, vem-me buscar à escola agora se faz favor.", tento perceber o que se está a passar visto que é suposto ter aulas até mais tarde e não havia nenhum aviso que não haveriam aulas de tarde. Às questões "Estás bem? O que se passou?" só obtenho um "Vem-me buscar" com a voz sumida, aquela voz de quem está quase a começar a chorar. Desliguei o telefone e fui a voar até à escola, o caminho todo a pensar em todos os cenários do que podia ter acontecido para receber aquele telefonema. Quando lá cheguei, ela estava sentada num banco perto do portão com a professora de educação física. Aproximo-me delas e à primeira vista nada de errado com a Camila a não ser um ar muito encolhido. Diz-me a professora "Não esteja com esse ar tão preocupado mãe. Ela está bem. Ao que parece a Camila entrou para o clube das mulheres.". Nem queria acreditar no que estava a ouvir! A minha bebé a tornar-se numa mocinha! Ainda incredula dei um grande abraço à Camila que estava com um ar tão infeliz que só visto, com as lágrimas quase a cair e perguntei-lhe porque é que não me disse logo ao telefone o que se tinha passado. Vergonha, respondeu-me.

Viemos para casa as duas, pelo caminho ela foi desanuviando da "vergonha" (é que, coitadinha, com tanto dia para acontecer e com tanta hora do dia para acontecer, foi logo acontecer na aula de educação fisica em que ela tinha umas calças de cor clara vestidas) e eu a fazer um esforço enorme para não chorar. Um choro não de tristeza pois não há nada melhor do que ver os meus filhos crescerem, mas de nostalgia. Em casa lá lhe tive a explicar de novo (felizmente já tinhamos falado sobre o período antes) como é que isto funciona, o que significa e quais os cuidados que ela tem de ter. Acabou por ser uma tarefa mais simples do que eu estava a imaginar e ainda bem pois a Camila, como é a mais velha, acaba por ser um bocadinho a "cobaia" e num assunto tão importante como este queria mesmo estar à altura do desafio.

A professora foi mesmo uma querida com a Camila e ainda bem que assim foi.
A minha mãe quando lhe contei só dizia "coitadinha da minha menina, tão novinha ainda", o pai... Ai o pai... Quase que ficou branco com a noticia que a bebé dele se está a tornar numa mulher! Eu continuo a modos que incredula porque ela é ainda tão a minha bebé e sinceramente não estava à espera que acontecesse tão cedo. Mas pelo que li dos vossos comentários não é nada incomum acontecer com esta idade. Entretanto já marquei uma consulta com a pediatra para falarmos.
A Camila, passada a "vergonha" inicial, parece-me feliz com a entrada nesta nova etapa da vida dela. E ainda bem.
Como eles crescem rápido...

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Menarca

A poucos dias de dar à luz a minha sexta bebé, passo a ter uma mocinha em casa.




E só me ocorre... Não é muito cedo?!

sábado, 16 de fevereiro de 2008

Anda tudo a ficar ansioso! :)

Ainda por cá andamos, com a princesinha a aproveitar bem o quentinho. A falta de noticias/visitas deve-se à valente constipação que atacou os meus dois rufias mais novos, coisa que não veio nada a calhar. Têm estado com mãezite aguda tal que não me posso afastar meio cm sem que eles comecem a chorar. Este inverno tem sido rico em doenças, já chateia.

Fomos hoje à ultima consulta, a das 38 semanas. A cachopa já está encaixada e de resto nada de novo a dizer, continua tudo bem. Ficou marcado o CTG para a proxima quarta-feira.
Aguardamos pacientemente a chegada da princesinha.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

O meu filho Tomás, que ontem deu pela nossa ida ao hospital, entrou em casa, vindo da escola e foi a correr até ao meu quarto, olhou para o berço e perante o berço vazio perguntou: "A minha mana bebé?".

O rapazinho estava com vontade de ter já a mana em casa, está visto.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Ainda embutida!

Pois é meninas, ainda não foi desta!

Como diz o pai, foi um simulacro.

Fui ao hospital e por volta das 4 horas as contracções, que já eram bastante mais espaçadas, cessaram. Pouco depois fui mandada para casa e agora aqui estamos, sem contracção alguma, a aproveitar o dia.

Será?

Contracções... Começaram à hora de jantar e agora que parei e me sentei comecei a contar:

23:02
23:10
23:16
23:21
23:26
...

A ver vamos.

domingo, 10 de fevereiro de 2008

Sentada a aproveitar o sol e a ouvir as minhas filhas a brincarem com o Tomás dou por mim a pensar em cada uma vez que estive grávida. Ainda a princesinha está embutida e eu já estou a ficar nostálgica e com saudades de estar grávida...


A primeira gravidez, correu muito bem apesar da ansiedade e dos receios que senti do principio ao fim. Sempre cheia de medo que algo corresse mal durante a gravidez, que ela não fosse saudável, que o parto corresse mal, que fosse doloroso. Penso no quando conheci a minha filha na primeira ecografia, a primeira vez que senti mexer-se em que não tinha certeza se era ou não a bebé a mexer-se, quando soube que ia ser mãe de uma menina e a cara de babado do pai quando o soube, a escolha do nome, as primeiras roupinhas que comprámos e o quartinho que montámos para ela, o tempo que estive em trabalho de parto, a primeira vez que vi a carinha dela e me apaixonei perdidamente por aquele ser indefeso que mal sabia chorar e esqueci por completo as dores, a primeira vez que lhe dei de mamar, a nossa primeira noite a 3 em casa que não correu nada bem com a Camila sempre a chorar e o pai e eu à beira das lágrimas também por não sabermos porque razão estava ela a chorar... Uma experiência realmente maravilhosa.




A descoberta da segunda gravidez, uma enorme alegria por nós sentida. Foi uma gravidez muito mais calma no sentido em que já não pensava constantemente nas coisas que podiam acontecer de mal, não tanto por estar mais confiante por não ser a primeira gravidez mas mais por estar ocupada com a Camila. Surgiram outros receios... O medo de não ser capaz de amar a Beatriz tanto quanto amava a Camila, de não ser capaz de dar conta dos cuidados das duas, de não ter tempo para o meu marido e o casamento se ressentir com isso. Quando a Beatriz nasceu e assim que a colocaram em cima de mim o receio de não a amar como à Camila desapareceu completamente e nunca mais por aqui andou. Tal como tinha acontecido com a Camila, apaixonei-me perdidamente pela Beatriz. Lembro-me de na altura pensar que o meu coração iria explodir de tanta felicidade e amor. Recordo também a primeira vez que as irmãs se viram, o beijinho que a Camila deu à Beatriz e o quão orgulhosa dizia às pessoas que aquela era a irmã dela. Os primeiros tempos a 4 foram tempos de ajuste à nossa nova realidade e em muitos finais de tarde dei comigo a chorar juntamente com o choro delas e a perguntar onde me tinha metido. Quando tudo acalmou cheguei à conclusão que engravidar de novo tinha sido a melhor decisão que podia ter tomado.




A terceira gravidez trouxe-nos um bebé que dava muitos pontapés, o que levou o pai a dizer, mesmo antes de se saber o sexo, que vinha um rapazinho a caminho. Não se enganou, veio um rapazinho saudável e com queda para o futebol. Lembro-me do dia que o Tomás nasceu como se tivesse sido ontem. Tinhamos vindo de um jantar na casa de uns amigos, já passava da meia noite. O pai estava prestes a deitar-se e disse-lhe que não se deitasse que o Tomás estava prestes a vir ao mundo. Os meus pais vieram cá para casa ficar com as meninas e nós fomos para o hospital. A enfermeira tinha visto a dilatação momentos antes quando senti que o Tomás ia nascer, chamei-a e ela disse-me que ainda não tinha a dilatação completa por isso não ia nascer já. "Senhora enfermeira é melhor ver de novo porque ele vai nascer agora" foi o que eu lhe respondi antes de ela verificar que eu tinha razão. Não tiveram tempo de me levar para a sala de partos, fiz força 3 vezes e o Tomás veio ao mundo. O meu primeiro menino. Ajustarmo-nos à vida a 5 não foi tão complicada quanto eu pensei que seria.




Para a quarta gravidez ficaram reservadas as maiores surpresas, preocupações e sustos. Ficámos muito felizes quando fiz o teste de gravidez e deu positivo. A nossa quarta gravidez, o nosso quarto bebé. O que não estávamos nada à espera é que fosse a nossa quarta gravidez e o quarto e quinto bebé. Quando a médica nos mostra no monitor do ecógrafo 2 seres pequeninos nem queriamos acreditar. Não sei quantas vezes o meu marido e eu perguntámos à medica se ela tinha certeza, se não se tinha enganado. Saimos do consultório com um sorriso enorme mas completamente incredulos e em choque. Lembro-me de chegar a casa vinda da consulta e me sentar na cama a fazer contas para saber até que ponto seria suportavel a chegada de dois bebés de uma só vez. Foi a gravidez em que tive mais enjoos e que me senti mais cansada. Comer era um grande sacrificio assim como arranjar energia para cuidar da Camila, da Beatriz, do Tomás e da casa. Quando as maleitas da gravidez começaram a passar, vieram os sustos: desde cedo estes meninos mostraram muita vontade em vir conhecer o mundo antes do previsto e depois de um grande susto, fiquei em repouso absoluto. Foi horrivel, não podia sair da cama a não ser para ir ao wc e sentia-me uma pessima mãe por não poder cuidar dos meus outros filhos mas mal eu sabia que ainda ia piorar! Completava as 31 semanas no dia que fui internada, foram as piores semanas da minha vida com a angustia de estar longe dos meus outros filhos e o medo que o Gabriel e o Eduardo se apresentassem ao mundo demasiado cedo. Às 35 semanas e 1 dia nascia o Gabriel seguido do Eduardo. Chorei muito, de alegria e de alivio, quando os ouvi chorar. Dois bonequinhos pequeninos e iguais que nem duas gotas de água.


Quando embarcámos para esta 5ª gravidez ainda tinha muito viva a experiência passada na gravidez anterior e nos primeiros tempos andei muito receosa. Depressa a minha cabeça entendeu que ia tudo correr bem, que a gravidez anterior tinha sido mais complicada não por mim mas por esperar gémeos. Tem sido uma gravidez bastante calma, felizmente. Em muitos momentos quase que me esquecia que estou grávida pois sentia-me mesmo muito bem. Agora na recta final chegaram os desconfortos normais mas que roubam muita energia e disposição. E se quero muito que ela se despache a vir conhecer o mundo, também quero igualmente que ela se deixe ficar no quentinho para aproveitar até ao último cartucho esta gravidez. Penso muitas vezes em como será que irá ser o parto e na reacção dos manos quando a virem pela primeira vez. Já falta pouco, muito pouco, para saber e para olhar para ela pela primeira vez.


Sem sombra de dúvida que cada gravidez foi a melhor decisão que podiamos ter tomado.
Data alterada já que ontem a net resolveu não funcionar.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

36 semanas (e 6 dias)

Às 36 semanas tivemos mais uma consulta. Correu muito bem, tanto a bebé como eu estamos bem. Mantive os 9 kg a mais que tinha ganho até aqui e a tensão continua como se quer.
A pequenina ainda não deu a volta e tem estado muito irrequieta ultimamente. Na ecografia já não se conseguiu ver grande coisa mas já estávamos, o pai e eu, a contar com isso pelo que não foi surpresa. Mas está tudo bem e é o que importa.
O nome... Está quase certo que se vai chamar Concha (o pai está prestes a convencer todos os miudos) mas ainda não foi encerrada a discussão. Já estou tão habituada a chamá-la de bebé que acho que por mim agora espero até nascer para decidir o nome, mas logo se ve.
A mala ainda está toda por fazer, talvez a faça esta semana. As moinhas têm-me acompanhado nos meus dias, por vezes acompanhadas de contracções. Já falta pouco. O cantinho da bebé aqui no nosso quarto já está todo arranjado e pronto para a receber.
Dormir tem sido uma tarefa praticamente impossivel, dou mil voltas na cama para achar posição, tento dormir sentada, recostada, levanto-me e vou até lá abaixo ao sofá para testar se ali consigo dormir mas nada. Nestas andanças dou por mim e já são quase horas de levantar os miúdos e encarar um novo dia. Esta falta de horas de sono aliada às hormonas completamente malucas são as responsáveis pelos dias cinzentos que tenho vivido. O que me vale é que tenho uma familia maravilhosa que me tem ajudado a sorrir mesmo quando não apetece nada. Os meus filhos que andavam umas pestes do piorio resolveram virar (quase) anjos e todos os dias me enchem de mimos o que tem facilitado a minha boa disposição.
Por falar em filhos pestes, andam todos ansiosos com a chegada da irmã. Muitas perguntas, muitos planos. O Eduardo e o Gabriel todos os dias me perguntam se é hoje que vou para o hospital, no outro dia o Gabriel acordou a meio da noite a choramingar que não queria que eu fosse para o hospital. Lá lhe tive a explicar como tudo se ia passar e parece ter ficado mais descansado. Não estou muito preocupada com este capitulo pois sei que eles ficam muito bem com o pai e com os avós (já peritos nestas andanças) e quando derem por isso, já eu estou de volta a casa com a bebé. Claro que vou ter saudades deles, sei que eles também terão saudades minhas, e estarei a pensar sempre no que se estará a passar em casa mas não fico preocupada.
Estamos a aproximar-nos rapidamente do top 10, vamos em 14º lugar no babyblogs e em 11º no baby boom! Aproveito para dar os parabéns a estas meninas pelo excelente trabalho que fazem nestes blogs!

terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Fui apanhada no meio de uma grande sensação de desanimo e tristeza, uma tristeza que me deixa o coração bem apertadinho e que nem com as lágrimas se vai embora. E sinto-me mal por me sentir assim quando tenho 6 rebentos saudáveis, felizes e um marido maravilhoso que me completa...

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Vem rápido Verão!

O Eduardo começou quarta feira com uma tosse horrivel, hoje queixa-se de dores de cabeça e no peito cada vez que tem um ataque de tosse. Até mete dó! O Gabriel começou ontem com a mesma tosse. A noite passada tinha o Eduardo a tossir de tal maneira que parecia até que ficava sem ar. Passámos a noite em claro a tentar acalmar a tosse dos dois. Sobre a manhã lá acalmou a tosse e conseguiram finalmente descansar. Hoje ficaram os dois de molho para ver se isto passa e tem sido uma sinfonia, ora tosse um, ora tosse o outro, ora tossem os dois ao mesmo tempo. E eu dou por mim a desejar que o verão chegue bem rápido que já estou farta de ver os meus rebentos doentes!

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Miminhos






Antes de mais, muito obrigada pelos miminhos e peço desculpa pela enorme demora a colocá-los aqui! Recebi estes miminhos da Ana e Kiko; da Família Teixeira; da Mãe Tranças; da Carla-vida a 4; da Cláudia, mãe da Daniela e da Mãe da Rita. (Peço desculpa se me esqueci de alguém). Muito obrigada a todas! Retribuo-os a vocês e passo a todas vocês que aqui passam para nos lerem.





E a sorte que não quer nada conosco...

sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

Ecografia/Consulta

E ontem lá fomos, o pai e eu à última ecografia.

Uma ecografia que mostrou uma bebé saudável, que cresceu bastante nestas ultimas semanas e bastante irrequieta. Foi mesmo muito bom vê-la e continuo a achar que ela se parece muito com os manos o que aguçou a curiosidade de a ver para confirmar se se parece mesmo. Mas nada se compara a ouvir o coração! É que nem tenho palavras para descrever.
Até agora aumentei 9 kg e a tensão está óptima. Com as análises também está tudo bem.
Ficaram marcadas consultas para as 36 e 38 semanas e não consigo deixar de pensar que o tempo até ter a minha bebé nos braços vai voar.
Às 33 semanas (e 2 dias) vamos em 34º lugar aqui e em 28º aqui!
O mais importante de tudo, está tudo bem com ela e comigo e isso é o que se quer.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

33 semanas

33 semanas e a sensação que o tempo passou a correr!

Tem sido uma gravidez muito calma mas já começo a sentir as "maleitas" da gravidez: as dores de costas, as pernas inchadas, as moinhas que agora insistem em aparecer sempre que ando um pouco mais, as insónias e a dificuldade em arranjar uma posição confortável para dormir. As minhas filhas estão tão ansiosas que o dia chegue e têm falado muito sobre isso. Falam muito sobre a irmã, opinando sobre com quem elas acham que a bebé se irá parecer, a cor dos olhos e cabelo. Por elas a irmã nascia já hoje. O Tomás também se começa a aperceber que daqui a pouco tempo a irmã vai nascer mas de momento a maior preocupação dele é com quem é que eles vão ficar enquanto eu estiver no hospital. Sabe que vão ficar com o pai mas não está muito convencido que seja a melhor opção - diz ele que o pai precisa da mãe para saber fazer as coisas. Os gémeos ultimamente têm falado mais da bebé, sabem que vão ter uma irmãzinha que está dentro da minha barriga, até gostam de tocar e dar beijinhos na barriga mas não se mostram muito interessados em que a irmã nasça. Acham verdadeiramente chato o facto de não conseguir pegar bem neles ao colo e já aconteceram algumas birrinhas devido a isto. O pai continua encantado da vida assim como eu.
Amanhã temos a que será, em principio, a última ecografia. Estou muito contente por ir espreitar a minha bebezinha mas ao mesmo tempo "triste" por saber que esta será, muito muito certamente, a ultima vez que irei fazer uma ecografia com um bebé cá dentro.
E sim, repararam bem, a bebé continua a ser só bebé porque ainda não há um nome escolhido! Isto está mesmo complicado. Quer dizer, já esteve mais. Já só estão dois nomes em jogo: Concha e Clara. Pode ser que esteja para breve a escolha (esperemos).
É um tema completamente aparte mas não posso deixar de aqui registar: na sexta feira passada, 2 meses depois daquele "acidente" que valeu um braço partido a Beatriz teve alta da fisioterapia e está de volta aos treinos de futebol. Está feliz da vida.

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

São 21:00 e tenho os rapazes da casa já a dormir. Nada comum nos dias que correm. Das duas uma, ou o dia foi muito cansativo na escola ou então estão a chocar alguma coisa. Esperemos que seja a primeira hipotese.

Na sexta feira, depois de ter dito maravilhas dos meus bons estudantes, trouxe para casa 5 autênticas pestes. Uma delas com um recado de mau comportamento escrito no caderno (nada de muito grave, correu no corredor onde sabe ser proibido correr). Eram elas no quarto com musica aos berros, eles na porta do quarto delas a fazerem barulho com instrumentos improvisados, em resposta elas iam aumentando o volume do radio enquanto que pelo meio se ouvia a porta abrir e fechar. Tive de me chatear com eles mas mesmo assim o desassossego continuou, em menor escala é verdade, mas continuou. A Camila e a Beatriz só sossegaram depois do aviso que a continuar com aquele comportamento não havia saida a 3 para ninguém no dia seguinte. Ainda estou para descobrir a causa de tanta agitação...
Sábado, a tal saída a três. E que melhor programa para uma mulher e 2 amostras de mulher num dia chuvoso do que ir para os saldos gastar dinheiro seguido de um lanche delicioso?Foi uma tarde maravilhosamente bem passada! Até nem gastámos muito mas fizemos boas compras, elas divirtiram-se imenso a experimentar roupas (haja paciência) e a escolher roupa para os irmãos e para a irmã embutida. Ao lanche (quase jantar) já estávamos tão cansadas que para recuperar comemos um crepe gigante, cheio de gelado, a dividir pelas três. Foi mesmo um óptimo passeio (quem não gostou muito foi a menina embutida, fiquei com umas moínhas chatas).
No domingo, um dia cheio de actividades em familia. Enquanto as mais velhas faziam os trabalhos de casa, estive com os meninos a jogar aos jogos que receberam no Natal até elas se juntarem a nós e termos feito uma sessão de jogo em familia. Ao final da tarde, o pai cá da casa foi para a cozinha fazer o jantar enquanto a mãe ficou no sofá enroscada com os filhotes a ver desenhos animados. Um fim de semana mesmo muito bom!

sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

Gosto muito de os ter a todos em casa comigo, ouvir e partilhar as suas brincadeiras, ver os dvd's vezes e vezes sem conta todos enroscados no sofá, debaixo de uma manta. Gosto do desassossego, dos "não temos nada para fazer" e de os mimar o dia todo. Mas (em muitos dias) também gosto de acordar de manhã, levar os miúdos à escola e vir trabalhar.
Por falar em escola, os meus meninos e meninas sairam-se muito bem no primeiro periodo. O Gabriel e o Eduardo estão bem integrados na turma e embora ainda brinquem muito um com o outro sem dar grandes oportunidades aos colegas já vão brincando com os outros meninos. Na terapia da fala também está tudo a correr bem, já não há choros e notamos mesmo muitos progressos na fala deles. O Tomás continua a adorar ir para a escola e também está muito bem integrado, é muito participativo nas actividades da turma. A Beatriz trouxe para casa três "Satisfaz muito bem", um elogio à sua bonita caligrafia e uma advertencia por causa da tagarelice, é que esta menina é uma tagarela tão tagarela que até estando sentada numa mesa sozinha, mais afastada dos outros, arranja maneira de falar. Mas já me disse que vai tentar falar menos nas aulas. As notas da Camila também foram muito boas, com três 5 e o resto 4. A reunião de pais é para a semana. Estou muito orgulhosa dos nossos filhos!

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Quatro (longas) horas de viagem e perdi a conta às vezes que:
  • Ouvi as frases "falta muito para chegarmos?", "quando é que chegamos?", "onde estamos?", "Mãe, olha (inserir o nome de uma das crianças) que não pára quieto/me está a chatear";
  • Parámos para (eu) fazer xixi;
  • Parámos para esticar as pernas;
  • Me mexi para arranjar uma posição sentada confortável;
  • Ouvimos o mesmo cd;
  • Me virei para trás (normalmente no segundo a seguir a ter encontrado uma posição minimamente confortável) para meter ordem nos ocupantes dos bancos de trás.

A próxima vez que me quiser meter numa destas de novo, mostrem-me isto sff!