quarta-feira, 26 de maio de 2010

Noticias nossas!

Cliché mas... Como o tempo voa! A vida por aqui tem sido tão agitada que os dias parece que só têm meia duzia de horas. E nessas meia duzias de horas os miúdos crescem, crescem e crescem sem parar. E por isso, nestas pequenas horas do dia tenho de arranjar tempo para ir comprar roupa aos miúdos. Será que seria muito mau continuar a mandá-los para a escola com camisolas e calças curtas? Ou dizer-lhes para encolherem a barriga para que consigam apertar o botão das calças? E o mesmo com os sapatos que insistem em encolher de semana para semana? Acho que no final de publicar este post tenho o serviço de protecção de menores a bater-me à porta!

6 meses. Já passaram 6 meses desde o nascimento das pequenas da casa. E se por um lado o tempo voou, por outro parece que há dias que demoram seculos a passar. As miúdas mais pequenas estão lindas e a crescer. Temos tido direito a alguns sustos, cortesia da senhorita Francisca. Alguns internamentos, uns mais curtos outros mais longos e parece-me que passámos a passar grande parte dos nossos dias no hospital. Problemas respiratórios que insistem em perturbá-la e à nossa rotina ainda pessimamente estabelecida. O inverno não foi de todo meigo com ela e esperamos que agora a Primavera - ou pelo andar que isto leva, o Verão - se despache a chegar e a trazer o melhor tempo. 6 meses que embora sejam muitos meses, são poucos para aqui a mãe se habituar a ter uma cria um tanto menos saudável e que exige cuidados diferentes do que estava habituada. Ando sempre com o coração bem pequenino e acho que se ela soubesse falar me diria que sou uma mãe chata como tudo e que devia aprender a relaxar senão fico mais velha num instante. Na verdade não diz ela mas dizem os outros, que esta mãe virou muito chata com tantos cuidados extra que exige na limpeza e nas brincadeiras com as bebés. Não é por mal e bem sei que devia relaxar e aligeirar mas é mais forte que eu! Aos poucos vamos lá.

O Eduardo e o Gabriel já estão matriculados na escola primária. Nem imaginam o ataque de choro compulsivo que me deu enquanto preenchia os papéis... Culpa das hormonas, digo eu. Nem quero imaginar como vai ser quando os vir na festa de final de ano deles, os meus finalistas da pré-escola! Já estão crescidas estas duas pestes. Crescidos mas mimosos, que ainda lhes sabe muito bem o colinho e os beijinhos da mãe e do pai - e ainda bem que assim é.

A Concha também cresce a olhos vistos. Está esperta e mexida. Bastante desenvolvida para a idade dela, como diz a pediatra. São as maravilhas de se ter irmãos mais velhos que puxam e ajudam na aprendizagem. Adora andar atrás dos irmãos e a tentar entrar nas brincadeiras deles, principalmente do Eduardo e do Gabriel, que diga-se já não acham piada alguma a esta situação. Pior mesmo só quando a pequena se lembra de lhes destruir as brincadeiras montadas no chão. Por causa disto, concordámos que passassem a montar as brincadeiras em cima da mesa mas a verdade é que a pequena já aprendeu a chegar lá também.

A escola tem corrido bastante bem aos mais velhos mas já estão todos cheios de vontade de entrar de férias. São uns amores de miúdos! As duas mais velhas, embora achem que estou uma chata, têm sido grandes ajudas cá em casa e fico-lhes muito gratas por isso.

É assim que se vai desenrolando a vida nesta casa, que na maioria dos dias mais parece uma casa de malucos - verdadeiramente!