quinta-feira, 31 de julho de 2008

Gosto tanto desta altura do ano em que a vila está cheia de vida. Cheia de caras novas de diferentes idades. Com muita animação e barulho.
A coisa menos boa (para além da dificuldade em estacionar ou do tempo que se demora no café ou numa loja) é a atenção redobrada que temos de ter com os miúdos que estão habituados a andar à solta por aí, sem perigos.
Hoje torno a ter os meus filhotes todos debaixo da minha asa! Embora goste que eles façam os seus vôos, ao fim de uns dias as saudades apertam muito e só apetece tê-los debaixo da asa de novo. Divertiram-se imenso, todos os dias tinham muito para me contar acerca do seu dia (tirando o sr Tomás, que andava sempre demasiado ocupado a brincar para poder atender o telefone).
Cá por casa também nos divertimos bastante. Por vezes foi complicado entreter as duas pestes tendo em conta os horários da Concha mas lá conseguimos arranjar umas actividades giras. Brincaram com plasticina e como se portaram tão bem (pelo menos da primeira vez, que da segunda já foi outra história e acabou com a Concha com plasticina na boca) no dia seguinte tiveram direito a brincar com barro. Fizeram, cada um, um pote para guardarem as canetas na secretária que, de seguida, pintaram. Fomos à piscina e à praia, sendo que ontem a Concha foi conosco fazer a sua estreia na praia. Até correu bem, não estranhou a areia (e olhem que apanhou com muita areia graças aos irmãozinhos) e esteve entretida enquanto os gémeos e eu faziamos construções na areia.
E já falta pouquinho para chegarem!

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Férias

Neste mês de férias com os 6 em casa, por incrivel que possa parecer, cansei-me menos do que no tempo de escola. Bom, não é assim tão incrivel visto que em tempo de aulas tenho de ir levar, buscar às escolas e às diversas actividades extra curriculares, ajudar em tpc's, ajudar em brincadeiras e tudo o mais e agora nas férias mal tenho posto a vista em cima dos meus filhos (tirando a D. Concha que continua dependente da mãe). Já o mesmo não podem dizer os meus pais, que os têm tido os dias todos com eles. Nos primeiros dias, acordavam com as galinhas (literalmente) e, tentando ser silenciosos, vestiam-se e iam para casa dos avós (que também acordam com as galinhas) tomar o pequeno almoço e entregar-se às diversas actividades que a casa dos avós oferece (fazer bolos com a avó, ir para a horta com o avô, cuidar dos animais com o avô, ver fotos com a avó, jogar à bola com ambos ou, simplesmente, nadar na piscina com os avós a verem). Almoço, tarde passada na brincadeira, lanche e, muitas vezes, jantar, tudo na casa dos avós sem me ligarem nenhuma. Como lhes deve custar muito fazer aquele (curto) caminho da nossa casa até à dos avós, a maior parte das noites passaram a ficar a dormir em casa dos avós. Como podem ver, quase que tive férias dos meus filhos.
Eu delicio-me com as risadas deles (avós e netos) que vou ouvindo, com a cumplicidade que lhes vejo e a felicidade que lhes sinto. Os meus filhos são uns sortudos e privilegiados por viverem assim perto dos avós (mais perto só se morassemos na mesma casa, que no mesmo terreno já nós moramos) e por poderem passar todo o tempo que desejam com eles, a brincar e a aprender.
Mas estas minhas "férias de filhos" estão, em parte, prestes a acabar já que amanhã os meus pais vão de férias. Levam com eles os três mais velhos, o Tomás esteve até à última para se decidir se ia mas lá se decidiu a ir e parece-me que não se vai arrepender. O Eduardo e o Gabriel ficam, tristes por não acompanharem os irmãos e os avós mas com a promessa de que vamos fazer coisas giras os três todos os dias (aceitam-se sugestões!!). Os avós iriam mais contentes se levassem os benjamins também mas eles ainda são muito novos nesta "arte" de dormir fora de casa e uma coisa é acordarem a meio da noite em casa dos avós a pedirem para virem para casa dos pais e outra muito diferente é acordarem a mais de 600 km de casa. Fica para o ano que vem.

quarta-feira, 9 de julho de 2008

E o tempo que não estica... Que o diga a quantidade de mails não lidos na minha caixa de correio à espera de resposta, as imensas novidades que foram surgindo nos vossos cantinhos que li em silêncio e a falta de actualização deste cantinho... E agora que até nem é muito tarde, com os putos todos a dormir, na teoria até podia aproveitar para ler/ responder aos mails e visitar os vossos cantinhos mas só mesmo na teoria porque na prática tenho uma pilha enorme de roupa para atacar antes que ela me ataque a mim. Enfim... Se alguma de vocês descobrir uma forma de esticar o tempo, lembrem-se de mim e partilhem sff!
Deixo um grande beijinho para cada uma de vocês e cá vou eu para o "castigo"!