quinta-feira, 17 de junho de 2010

Bom tempo e banhos

Os meus filhos rapazes - sobretudo o Eduardo e o Gabriel - chegam tão mas tão sujos da escola que se vê logo que o bom tempo chegou e que há muita brincadeira no recreio.

Não chegasse a brincadeira no recreio da escola, com o bom tempo há também oportunidade de brincar lá fora no quintal e se julgasse que não se podiam sujar mais, não podia estar mais enganada! Vêm completamente castanhos quando os chamo para tomar banho e claro nunca lhes apetece ir para o banho, nem nunca é preciso.

"Queixava-me" eu deste facto ao meu pai no outro dia, enquanto esperava que os miúdos viessem para dentro tomar banho após tê-los chamado pela enésima vez, e dizia-lhe que ia colocar os miúdos na máquina de lavar que assim era um dois em um, lavava os miúdos e a roupa ao mesmo tempo. No dia a seguir a esta "queixa", chego a casa e começo a ouvir muitas gargalhadas vindas da direcção das traseiras da casa dos avós. Qual não é o meu espanto quando espreito e tenho os três miúdos alinhados no terraço do avô, espuma no corpo e o avô de mangueira na mão a molhar os netos. Os miúdos estavam divertidissimos e quase que a brilhar de tão limpinhos que estavam! Desde esse dia que, sempre que o tempo o permite, é assim que é o banho dos miúdos (e por vezes da Concha, que gosta de participar das "brincadeiras" dos irmãos). Sem dúvida alguma que o avô teve uma ideia excelente ideia!