quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Há um ano atrás...

...O dia 25 de Fevereiro amanheceu sem que nada indicasse que viria a ser um dia diferente dos outros.

Apesar de ter passado a noite e de ter acordado com contracções, elas não eram de todo dolorosas pelo que não me impediram de me despachar como é hábito nos dias de escola e, como já tínhamos tido um falso alarme, não lhes atribui grande importância. Chamei as crianças, organizei roupas a vestir e desci para a cozinha. Estava a acabar de arranjar os pequenos almoços dos miúdos quando, para grande surpresa minha, rebentaram as águas. Avisei o pai que tínhamos de ir para a maternidade e telefonei aos meus pais para lhes dar a mesma novidade e para eles virem dar uma mãozinha com os miúdos.

As contracções estavam a vir a cada 2 minutos e o pai insistia para que se chamasse uma ambulância. Eu não tinha vontade nenhuma de fazer uma viagem de ambulância mas com tanta insistência do pai e dos avós acabei por me convencer que seria a decisão mais sensata. O pai chamou a ambulância enquanto eu explicava aos miúdos que ia para a maternidade para ter a mana deles.

A ambulância foi rápida a chegar, mãe na ambulância, filhos à porta a dizerem adeus e pai no carro para seguir atrás. Uma vez já dentro da ambulância, a caminho do hospital, as contracções tornaram-se dolorosas e comecei a sentir uma vontade enorme de fazer força para puxar. Avisei a bombeira que ia a acompanhar-me que de imediato me examinou e me pediu para aguentar e não fazer força enquanto falava com os colegas. Neste momento mal os ouvia, estava tão perdida no meu pensamento que, contrariamente ao meu corpo, me dizia para não fazer força, que tinha de esperar até chegar ao hospital. Não tenha noção de quanto tempo passou mas naquele momento tive noção de que a minha filha não iria tardar a nascer, que não ia esperar por estar no hospital e nesse momento virei-me para a bombeira e lhe disse que a minha filha ia nascer ali, naquele exacto momento. Ainda me lembro tão bem da expressão de "isto não pode estar a acontecer" na cara da bombeira... Não estava a conseguir não fazer força e foi ai que encostaram a ambulância à berma da estrada. Ao fim de 3 ou 4 puxões com força, nasce a minha bebé que depressa se fez ouvir.
Depois de confirmado que tudo estava bem com a bebé, retomámos o nosso caminho até ao hospital onde fomos assistidas.
Não sei colocar em palavras o que senti ao ouvir e ver a Concha pela primeira vez e o alivio que senti por tudo ter corrido bem com a Concha e comigo e, ao mesmo tempo, o aperto no coração que me acompanhou o resto do caminho até ao hospital na ansia de ter a confirmação médica de que estava tudo bem com a bebé.

Foi num abrir e fechar de olhos que tudo aconteceu. Nunca, em momento algum, imaginei que viesse a ter a minha filha numa ambulância a caminho do hospital e sei que fomos verdadeiramente abençoadas por termos apanhado uns bombeiros com alguma experiência e que não se atrapalharam com a rapidez com que a Concha chegou ao mundo.


Foi assim que, há um ano atrás, nasceu a nossa Concha.

18 comentários:

mãe disse...

:)
E eu que andava há uma ano para ler o relato do parto... valeu a espera.
Um beijinho

banita disse...

Com seis experiências de partos, aposto que nunca tiveste mais nenhuma assim, pois não?
Achei engraçado. E ainda melhor porque correu tudo bem!

Lótus disse...

Lindo! A Concha chegou a este mundo em grande estilo...LOL

Felizmente correu tudo bem, a experiência dos bombeiros (e a tua também) de certo fizeram toda a diferença.

Um beijinho grande para ti e para a pequenada!

PS - Tens um desafio no meu blog!

Cristina disse...

:) Tens uma bela história para contar á Concha!

Cristina

Bala disse...

Valeu a pena esperar pelo relato do parto. Deve ter sido uma emoção só!!!!

Bjinhos

Rainha Mãe disse...

Emociona sempre ouvir a experiência de um parto. Parabéns para ambas!
Beijinhos:)

dangerously in love disse...

Atrasada...mas AQUI!
Muitos Parabens...muitos!

beijocas GRANDES

Susie disse...

Isso é que foi! Ainda bem que o pai insistiu em chamar a ambulência!
Muitos Parabéns à Conchinha e que se seja tão fácilde criar como foi de nascer.

beijinhos

Avozinha disse...

Fabuloso! Parabéns à Concha e ao resto da família!

Nós disse...

Muitos parabéns à Concha e a ti!
Que história fantástica :)
beijos
teresa

Sofia disse...

Olá...já não passava por aqui há uns tempos...
Ora aí está, costumam dizer que todos os partos são diferentes e no teu caso só devia faltar mesmo o nascimento na ambulancia (LOL). Imagino os bombeiros, hi hi hi
E a emoção...e quando chegaste ao hospital? Qual foi a reacção da tua familia?
(desculpa a curiosidade, mas tens de reconhecer que é uma historia e pêras, a Concha vai adorar ouvi-la quando for mais crescida!)
Quero também dar os parabéns à mamã e à Concha (sim, estou atrasada, eu sei, mas o que conta é a intenção)
Bjinhos muito grandes para ti e para a tua linda (e numerosa) familia. Tenho de te confessar que à medida que o meu filhote vai crescendo percebo cada vez mais que és uma mulher de coragem...6!!!

Tranças disse...

Adorei ler, fiquei arrepiada, lindooooo.

Muitos parabéns à Concha e à família.

JOcas

gaia disse...

mesmo atrasada... muitos e muitos parabéns!!!!!

um ano é uma data tão especial!
parabéns aos pais, manas, manos e à concha!!!!

Eva Lima disse...

fantástico, estou de boca aberta...
Parabéns!

Carla Isabel disse...

olha até chorei a ler-te!!!

Abençoada sejas!

Um beijo grande!

Parebéns!!!

carla disse...

Olá
Nao costumo comentar nos blogues apenas gosto de os espreitar mas hoje achei que o devia fazer por termos uma história indentica.
O meu filho Gonçalo tambem nasceu no dia 25 de fevereiro de 2008, dia da tua Concha só que nao foi na ambulancia mas sim num Helicopetro.
Vivo nos Açores, na minha ilha nao se fazem partos, somos encaminhados para outra ilha as 37 semanas só que o Gonçalo resolveu nascer as 36. Durante esse dia sentia algumas dores mas pensei serem normais, ao fim da tarde rebentaram-me as aguas, e foi um parto tao rapido que nao deu tempo de chegar ao destino a meio da viagem de helicopetro o meu filho nasceu tambem me pediam para nao fazer força mas nao aguentei mais. Valeu que correu tudo bem, mas lá que foi uma aventura lá isso foi.

Ana Guida disse...

adorei :) lindo!

bjs*

Isabel disse...

Parabéns querida
parece que foi ontem, o tempo passou tão rápido...
;)
bjs