quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Dilema resolvido

Obrigada a todas pelas vossas opiniões quanto à separação dos gémeos na sala de aula.

Tentámos ao máximo fazer o Eduardo ver que era uma coisa boa ele estar a partilhar a carteira com outro menino que não conhece tão bem quanto ao mano, uma oportunidade de fazer mais um amigo, mas nada disto o convenceu. Chegámos ao ponto de ter de o arrastar para a escola, de o deixar lá a espernear e a berrar que não queria lá ficar e de o ter a vomitar todas as noites antes de ir dormir. Estava a chegar mesmo a uma situação impossível de gerir e por isso nós pais tivemos uma conversa muito séria e decidimos que tínhamos mesmo de falar com a professora.

A conversa com a professora correu bem, fizemos ver o nosso ponto de vista e, acima de tudo, conseguimos que ela visse que o Eduardo não andava bem e que estava a fazer recusa à escola. Ficou combinado que até ao Natal o Eduardo e o Gabriel tornam a ser companheiros de carteira - salvo situações de mau comportamento. Nessa altura "será feita nova avaliação" para se decidir se o melhor é continuarem juntos ou separados. Confesso que prefiro que, chegada a altura, a professora não os separe porque não consigo ver necessidade disso - mesmo tendo tentado colocar-me no lugar da professora e ver do ponto de vista dela - mas vou deixar chegar a altura para pensar nisso. Até porque sei que a professora não decidiu separá-los só porque sim e tenciono dar crédito à sua maneira de ver as coisas.

Restabelecida a normalidade quanto aos lugares na sala de aula, aos poucos começamos a ter de volta o Eduardo que conhecemos, mais calmo e bem disposto e contente com o ir à escola.

4 comentários:

IsabelCunha disse...

Que bom que estão juntos de novo... bjs

Sofia disse...

Ainda bem :)
Assim é muito melhor e eles vão acabar por ter outros amigos, é dar-lhes o seu tempo.
Bjos

Kella disse...

Fizeram bem.
Sou professora, este ano tenho gémeos na sala de aula e acho impensável separá-los. Não vejo que traga benefícios e, pelos vistos, no vosso caso, havia já uma situação de rejeição à escola por parte de um dos meninos.
Bom senso acima de tudo.
Bjs

Tranças disse...

Boa, ainda bem. E quando chegar o Natal vais ver que ela já nem se lembra disso.

Beijocas